Há um “Kairós” para todo Propósito!

18 12 2010

Gostaria de meditar hoje sobre dois tipos de tempo, sobre os quais, não somente nós nos movemos, mas Deus se move. O tempo “Krõnos” e o tempo “Kairós”: era assim que os gregos os definiam. A Bíblia fala dos dois.

Meu intuito aqui, não é apenas definir e explicar ambos os tempos, mas encorajar você a interpretar e reagir de forma correcta, quando for inaugurado o tempo oportuno de Deus em sua vida.

O primeiro tempo é o “Krõnos”. Este, é o tempo dos dias e dos anos (presente, passado e futuro), das horas e das estações. Este é um tempo igual para todos, com dias de 24 h. Esse é o tempo do homem, onde as coisas naturais acontecem. É um tempo que acaba, é passageiro e transitório. Não dá pra voltar ao “Kronos” de ontem. O ontem já foi. Esse é o tempo que mede o meu FAZER. É o tempo das minhas atividades e dos meus muitos compromissos. No tempo cronológico, eu realizo tarefas.

Ah, neste tempo eu posso ficar muito estafado, cansado e posso virar um ativista. Marta, agia de acordo com o “krõnos” (Lc 10.40,41).

Em Gn 1.14 Deus menciona o tempo “krõnos”: “haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite; sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos”. Outra inferência está no Salmo 104.19 “Designou a lua para marcar as estações; o sol sabe a hora do seu ocaso”.Os luminares marcam as estações, delimitam o tempo cronológico, mas Deus marca o tempo (“kairós”)!

O segundo tempo é o “Kairós”. É o tempo oportuno, ocasião própria, momento aceitável e tempo do favor. Este é o tempo de Deus. É neste tempo que Deus se move. Esse é o tempo que leva o homem a corresponder com Deus. É o tempo do SER e não simplesmente do FAZER. É o tempo dos propósitos e envolve uma atmosfera de cumprimento. Este tempo não está preso dentro de um relógio, ele anda de acordo com a Vontade de Deus.

Ec 3.1-8  fala deste tempo:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;

Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;

Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;

Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;

Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;

Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz”.

Embora Salomão use a expressão “debaixo do céu” neste texto, esse tempo não se refere a um tempo de horas e segundos. Ao passar a primeira vista no texto até achei que ele falava do “krõnos”. Mas duas expressões me chamaram a atenção: “tempo determinado” e “tempo para propósito”. Veja a descrição de Salomão; ele enumera situações onde há propósito: nascimento, morte, plantio, colheita, cura, queda, edificação, guardar e deitar fora, perda, busca, choro, alegria, pranto, danças, abraços, calar, falar, amar, odiar, guerra, paz. Eu poderia chamar a toda esta descrição de atitudes com propósito. Há propósito na vida, na morte, no plantio, na colheita, etc.

No verso 9 Salomão ainda diz: “que proveito tem o trabalhador naquilo em que se afadiga?” e no verso 11, ele completa: “Deus pôs a eternidade no coração do homem”. Ou seja, no “krõnos”, eu posso me afadigar, mas se eu ajo no “kairós”, eu ajo com propósitos; eu correspondo às expectativas de Deus; eu correspondo com as perspectivas eternas que Deus colocou dentro de mim.

E sobre isso, eu posso afirmar: o importante não é a velocidade com que eu faço as coisas, ou a quantidade de coisas que sou capaz de fazer, dentro de um dia de 24 hs; mas o COMO eu faço essas coisas. O Apóstolo Paulo disse: “veja cada um, COMO edifica” (1 Co 3.10).

Eu estou, com estas palavras, encorajando você a agir em correspondência com os Planos e com a Vontade de Deus. Jesus disse à Marta: “uma coisa só é necessária; Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada” (Lc 10.42). Precisamos descobrir o que é realmente necessário fazermos e como devemos fazer, para nos movermos edificando um fundamento firme, que não nos será tirado. Precisamos seguir produzindo frutos para a eternidade. Os frutos que receberão galardão, são aqueles que estão de acordo com o propósito de Deus para nós.

Uma das principais coisas que Deus me chamou para fazer é Ensinar, Fundamentar. Eu tenho certeza disso. Quando falo sobre isso, meu coração arde. Quando estou estudando, lecionando ou ministrando, sinto algo muito de Deus no meu ser. Como eu posso definir? É  uma aprovação; uma capacitação; sinto que estou correspondendo com o propósito de Deus para mim. É como se Deus dissesse: – É isso aí! Eu te desenhei para fazer isso! Por isso, eu tenho que me mover dentro deste propósito. Tudo o que eu fizer, precisa estar em correspondência com este propósito. Você também precisa descobrir para o quê você foi desenhado.

Que alegria sentimos quando estamos com fome e encontramos comida, ou quando a chave encontra a fechadura, ou quando a roupa é o nosso número exato! Nos alegramos quando aquelas coisas que foram feitas para nós, cumprem o seu propósito.

Tudo tem um propósito! As coisas que tributam Glória para Deus são quelas que correspondem ao propósito para o qual foram criadas.

Quando Deus criou os grandes luminares, o sol e a lua, Ele deu propósitos para eles: “o maior para governar o dia e o menor para governar a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas” e também para “iluminar a terra” (Gn1.16-18). E viu Deus que os luminares correspondiam aos seus propósitos; então Deus disse: isso é “Bom”. Deus aprovou a sua criação, porque ela correspondia exactamente com o seu propósito.

Tudo tem um propósito, temos que descobrir o nosso, para que nossas escolhas e atitudes estejam de acordo com ele.

Mas … (sempre tem um “mas”, hehe)

O meu propósito precisa acontecer dentro do Tempo de Deus: O tempo “kairós” de Deus!

Aqui é que muitos se atropelam, fazendo a coisa certa no tempo errado. O tempo certo é o tempo da oportunidade de Deus. O tempo certo acontece. E quando ele acontece, temos que estar preparados para cumprir o nosso propósito.

  • Moisés foi chamado para ser um libertador. Ficou 80 anos se preparando para cumprir o seu propósito. O tempo de sua oportunidade foi o evento da sarça, que ardia e não se consumia. Ali, ele obteve a aprovação para realizar o que ele tinha sido chamado e treinado para fazer: “diz que O EU SOU  te enviou” (Ex 3.14).Moisés foi respaldado neste momento.
  • José, foi treinado 13 anos para ser o governador do Egito (Gn 41.46). Durante o seu período de treinamento, ele soube fazer as escolhas certas e foi se movendo em direção ao seu propósito. O tempo de sua oportunidade aconteceu quando o copeiro-chefe se lembrou dele e falou dele a Faraó, que o manda chamar. Note que José reage dentro deste tempo: “se barbeou, trocou as vestes e se apresentou a Faraó” (Gn 41.9-14). Ele sabia que tinha chegado o seu momento!
  • Davi foi ungido rei. Mas o dia da sua unção não foi o seu “Kairós”. Davi fez escolhas que o levou cada vez mais para perto do seu propósito. Talvez, o evento de Golias tenha sido o seu “Kairós” (1 Sm 17). A partir dali, todos viam Davi como o futuro rei. As mulheres cantavam: “Saul venceu milhares, mas Davi, dez milhares” (1 Sm 18.-7). Ele recebeu as roupas e as armas de Jônatas (1 Sm 184) e isso foi profético! Ele estava recebendo o direito de sucessão ao trono. E todas as outras coisas que aconteceram na vida de Davi, culminando com a morte de Saul, foram apenas consequências de escolhas certas, no tempo certo, dentro do propósito certo.
  • Jesus, o Nosso Salvador, preparou-se 30 anos para a Obra Redentora. Seu “kairós” foi no momento do seu batismo, quando Deus o aprovou: “Este é o Meu Filho Amado, em quem me comprazo” (Mt 3.17). A partir dali, seu ministério fluiu tanto, que eu e você, somos hoje, o resultado da maneira como Jesus correspondeu, no tempo certo, ao seu propósito e se moveu dentro dele.

O que precisamos então, é entender qual é o nosso” kairós”, qual é o tempo da nossa oportunidade. É extremamente necessário que nossas vidas estejam alinhadas com os tempos determinados por Deus, para nos movermos dentro dele.

1Cr 12.32 fala de uma tribo inteira, que era entendida na ciência dos tempos; essa tribo sabia exactamente qual era o “kairós” de Deus para Israel e o que Israel deveria fazer neste tempo. Veja: “dos filhos de Issacar, duzentos de seus chefes, entendidos na ciência dos tempos para saberem o que Israel devia fazer, e todos os seus irmãos sob suas ordens”.

Que coisa maravilhosa! Nós devemos buscar isso, ansiar por isso, conhecermos a Deus o suficiente para saber quando Ele se move e o que fazer quando Ele se move; porque uma ação de Deus ao nosso respeito, precisa desencadear uma reação nossa! Veja o que acontece quando agimos e reagimos em direção à Vontade de Deus: “sabemos que todas as coisas colaboram (cooperam) juntamente para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o seu PROPÓSITO” (Rm 8.28). Nosso relacionamento de correspondência com Deus, fica estabelecido de tal forma, que todas as coisas (isto é, o universo inteiro) passam a corresponder e a cooperar para o nosso bem, para que nós cumpramos o nosso propósito, que também é o propósito de Deus. Todas as coisas passam a ser servas do propósito de Deus para nós!

Por isso, não se preocupe se você está neste período de treinamento necessário até que o “kairós” de Deus aconteça. Ele vai acontecer! Enquanto isso, não perca o foco, não deixe de se mover na direção do que Deus te chamou para fazer, não aceite propostas que não estejam de acordo com o teu propósito, por melhores que elas sejam; não negocie a unção que está sobre você. Não importa se as vezes o tratamento de Deus é silencioso, ou parece demorado. Seu tempo vai chegar! Quando o teu tempo chegar, o que você não fez em 10, 20, 30, 50 anos, porque estava sendo preparado, vai se concretizar em 5 e com excelência!

Posso afirmar, com certeza, que a meta do diabo é te desfocar do teu propósito, e te fazer perder o teu “kairós”. Por isso, vigie, não se deixe levar pelas circunstâncias, não dê ouvidos às intimidações das pessoas; o diabo vai usar tudo e de todos que puder para te parar. E isto pode incluir amigos, família, etc.

Continue avançando, prosseguindo para o alvo, para as coisas que estão diante de ti. Lá na frente tem um prêmio: é o prêmio da SOBERANA VOCAÇÃO de Deus em Cristo Jesus! Não corra, como desferindo golpes no ar, siga em direção ao teu propósito, aja e reaja dentro do “kairós” de Deus! Chegue ao final de sua história podendo dizer: “combati o bom combate, ACABEI A CARREIRA, guardei a fé!” (2 Tm 4.7).

Talvez você esteja se perguntando: Como posso descobrir em que tempo estou? Com certeza, esta é uma pergunta que só Deus exactamente pode responder. Mas … como “Ele deixa pistas no caminho” ( como falamos no 2ºPost), podemos descobrir algo sobre esses tempos; e as “estações” podem nos dizer muito sobre isso.  Nas próximas postagens, talvez eu escreva sobre as “estações”, agentes reguladores dos tempos de Deus sobre nós. Baruch Hashem! Daniele Marques.

Anúncios