30º Dia – O Dia da Libertação!

25 04 2011

Hoje o dia amanheceu diferente em Portugal. São 07:00 hs e estou a escrever e a pensar:

Talvez, para muitos, seja um dia normal de feriado, tantos, estão ainda a dormir, as ruas estão quietas, os pássaros a cantar, os pinheiros, agora já maduros, deixam cair alguns frutos nas ruas de primavera, um pouco mais floridas, em um mês que passou do inverno, mas ainda não é verão. O vento balança as folhas, e o sol, ainda tímido, repousa sobre o telhado das casas. Seria um dia normal em Portugal, senão fosse o seu significado. Após a sexta-feira da morte, o sábado dos questionamentos e o domingo da ressurreição, urge, 25 de abril, o “Dia da Libertação”! Neste dia singular, sobre os céus de Portugal baixamos um decreto: “Jesus Cristo vos libertou, para que sejais, de facto, livres, Portugal!”

 Há 30 dias atrás, Deus nos deu uma direcção para um tempo de intercessão sobre Portugal: O Senhor nos disse que deveríamos orar por 30 dias (do dia 27 de março até o dia 25 de abril) e disse-nos que neste dia 25, nós deveríamos profetizar a Libertação Espiritual da Nação.

 Por que esta data específica? (relembrando)

O dia 25 de abril para os portugueses, é um dia de grande importância, pois é o dia em que eles comemoram o início da democracia, conseguida, através de uma investida militar e também das massas contra a ditadura, que era imperante no país. Foi uma vitória tão grande que este dia, é chamado de “Dia da Liberdade”.

Neste ano de 2011, “o Dia da Liberdade”, é exatamente, um dia após a Páscoa, onde comemoramos a Ressurreição de Jesus, conquistada após seu Sacrifício, no Calvário. Então, profeticamente, em um dia, comemoraremos a Ressurreição e no outro, profetizaremos a Verdadeira Libertação Espiritual da nação Portuguesa. Este será “O Dia da Verdadeira Libertação” do regime ditador, que o principe das trevas impôs aqui.

 Um outro detalhe interessante, é que segundo a história de Portugal, depois do dia da Liberdade, “foi criada a Junta de Salvação Nacionalresponsável pela nomeação do Presidente da República, pelo programa do Governo Provisório e respectiva orgânica” (wikipédia).

Com a demissão do nosso Primeiro Ministro, José Sócrates, provavelmente teremos eleições em junho. Não é uma boa altura para se levantar “O Verdadeiro Exército da Salvação”?  E profetizar aos “ares de Portugal”, a Vinda do Reino de Deus sobre esta Nação, crendo, que, como Igreja, temos autoridade para nomearmos o próximo Governante de Portugal:  Jesus Cristo!

Temos uma imensa responsabilidade diante disto tudo, sobretudo, nosso maior dever é agora a evangelização, pois ficamos 30 dias guerreando e profetizando a Salvação da nação. Oramos pela salvação das famílias, de tantos grupos específicos, dos concelhos não-alcançados e consagramos cada vida desta nação a Jesus. Agora, temos uma missão importante. Veja a direção que nos enviou o Pr. Daniel Vicente, relacionado à este propósito e esta missão:

“Amada Irmã. Que o Senhor lhes dê a tão esperada vitória neste propósito. Os anjos do Senhor já estão mobilizados para a guerra, não parem de orar!!! Não esqueça, ao final de cada dia de propósito, consagrem a área geográfica que conquistarem e se sentirem responsáveis, ao senhorio de Jesus Cristo! Na semana seguinte façam um trabalho evangelístico, na área geográfica que foi consagrada, conforme o Espírito Santo lhes encarregar de fazer. Não deixem de anunciar que Jesus é o Salvador e Senhor daqueles que o receberem. Aproveitem a mobilização do povo de Deus para os dias de oração e façam a evangelização das áreas consagradas, não deixemos o tempo passar. O Senhor será convosco nesta batalha…  PAZ!!!”

O evangelismo é o nosso próximo passo de fé. Precisamos agora, de esforço e de um trabalho de fé, para por meio do evangelismo, reivindicarmos para Deus, tudo o que foi conquistado nestes dias de oração. Ouçamos o conselho do pastor Daniel: “não deixem o tempo passar”. Creio mesmo que não conseguimos conquistar nada, se não o tivermos feito primeiramente, em oração. Sempre me perguntei porque o povo de Israel precisou ficar 13 dias dando voltas ao redor das muralhas antes da Conquista de Jericó. Antes de pisarem na cidade, suas orações precisavam já ter estado lá. Antes de enfrentarem os inimigos,  já precisavam tê-los vencido em seus corações, por meio da  fé. Antes de vencerem a guerra física, já precisavam tê-la vencido espiritualmente, por meio da oração. O que eles fizeram, de comum acordo, foi tão intenso, que a cidade não ofereceu nenhuma resistência diante do povo de Deus. Esta vitória foi incrível! A oração tem íntima relação com a conquista. No Salmo 2.8, Deus diz: Pede-me, e eu te darei as nações por herança, e os fins da terra por tua possessão”. Nossa oração conquista a nação e o evangelismo é apenas a atitude de fé, para o que já foi conquistado em oração! Lembrem-se da Vitória de Josué em Refidim, contra os amalequitas (Ex 17.8-13), enquanto Moisés, Arão e Hur oravam! Lembrem-se também, da vitória do rei Josafá, após sua fervorosa oração:

“Porque em nós não há força para resistimos a esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos estão postos em Ti” (2 Cr 20.12).

Este tempo de oração, foi para mim, um tempo muito precioso. Nos primeiros dias de nossa convocação eu mencionei um texto de Jó que dizia: “e Deus mudou a sorte de Jó, quando ele orava pelos seus amigos” e disse que Deus nos recompensaria pela fidelidade na oração. Sabe, amados, orar é nossa obrigação e “não merecemos” nenhum adicional, por fazermos aquilo que é nossa obrigação, mas Deus é tão generoso e tão bondoso, que tem abençoado além das medidas, aqueles que estiveram conosco neste propósito. Temos ouvido e visto muitas coisas: desde heranças inesperadas até títulos de residência! Deus é mesmo muito Fiel e nos recompensa, mesmo quando fazemos o que é nossa obrigação!

Também há uma especial atmosfera de arrependimento sobre os ares de Portugal nestes dias: um amigo disse-me que estavam em um culto, orando por Portugal e de repente, no meio do povo, alguém começou a chorar compulsivamente e a pedir perdão pelos pecados em alta-voz e pelas vezes que tinha, com seus lábios, amaldiçoado a nação. Ele disse que neste dia, houve muito quebrantamento! Deus está a se mover de forma muito especial nesta nação!

Nos primeiros dias de oração, em atitude profética, eu dobrei a bandeira de Portugal e coloquei dentro da minha Bíblia, para profetizar quebrantamento e uma nação inteira dobrada, prostrada, diante de Deus! Creio que isto vai acontecer! Portugal viverá o avivamento! Nós cremos nisto! Oramos por isto! Esperamos isto! E Deus falou que fará isto!

Veja uma Palavra que Deus deu ao Pr. Fenner, palavra esta, publicada em seu blog:

“Nos próximos anos irá acontecer um reavivamento na Europa; e Portugal será porta de entrada para este reavivamento; “porque em todo o mundo está sendo anunciada a fé que vocês tem”  (Rm 1.8). Existe um povo de fé em Portugal e Deus está interessado em se manifestar a este povo. São chamados de remanescentes; aqueles que não se acomodaram aos padrões presentes, não se conformaram com este século, que estão enxergando além da realidade e vendo a transformação que Deus vai realizar. Eles conseguem enxergar a sede espiritual das pessoas, que a religiosidade não tem saciado, e agem para que estes sedentos sejam quebrantados e transformados pela glória de Deus. Os remanescentes não estão acomodados aguardando uma transformação, mas já se encontram em posição para lavrarem a terra com sua oração. Nós vamos nos juntar a eles neste trabalho. Esta tarefa também é nossa. A intercessão é o instrumento para revirar a terra, arrancar o joio e preparar o solo para as sementes. Você deve fazer parte deste propósito!”

Deus costuma confirmar o que vai fazer, também  com sinais e quero, compartilhar algo que me aconteceu:

Bem no início de nosso propósito tive uma experiência interessante. Um pastor amigo, que foi missionário durante muito tempo aqui em Portugal, havia compartilhado uma visão, onde ele via densas trevas sobre Portugal e uma nação mergulhada na escuridão. Ele via apenas alguns pontos de luz na nação, que eram os filhos de Deus Ele disse:

“A impressão que tive era de que o Senhor se afastou de Portugal. O pecado dessa nação tornou-se insuportável para o Senhor. Existem lugares onde o Senhor não está, e Portugal é um desses lugares. Ele está em seus filhos (os pontos de luz), mas não na nação. Nem mesmo a igreja cristã está brilhando com essa luz. A idolatria, a feitiçaria, a bruxaria e o humanismo cobriram Portugal, entraram na igreja e o Senhor se afastou da nação”. 

No dia em que ele teve esta visão, nós dedicamos um dia inteiro a orar “para que a Luz de Jesus pudesse brilhar em Portugal”. Me lembro que nestes dias, estávamos orando e pedindo perdão pelos pecados da nação, e pelo dano causado pelas religiões presentes em Portugal. Nestes mesmos dias, os céus de Portugal começaram ficar visivelmente escuros e isto virou notícia de jornal. Não vi a reportagem, mas meu marido Luciano viu e disse que eles estavam explicando este fenômeno cientificamente. Seja lá o que eles dizem ser, eu vi o céu muito negro e com nuvens muito negras. E elas formavam figuras no ar e se moviam rapidamente. Estavam tão baixas, que parecia que podíamos tocá-las. Não sou uma pessoa que “espiritualiza” tudo, mas o momento que vi as nuvens, senti algo ruim, e incomodada, comecei orar em meu espírito, e imediatamente, vi estas nuvens dissipando. Creio que Deus estava confirmando que nossa oração dissiparia as trevas de sobre a nação.

Na quarta feira dia 20/04/2011 (curiosamente o 25º dia de intercessão), no dia em que começamos a interceder pela Unidade da IGREJA, e exactamente neste dia, aconteceu algo interessante: Deus colocou seu “arco” no céu. Por que, justamente neste dia? Estava uma tarde diferente e neste momento, o sol estava apenas nos telhados das casas. Foi muito bonito de se ver! Eu estava conversando com meu irmão sobre como estava lindo o céu. Era um dia alegre. E aí, vimos o arco!

Gênesis 9.11-16, fala deste Arco, onde o Senhor diz que todas as vezes que ele aparecer no céu, Deus se lembrará de Sua aliança com os seres viventes, de que não mais destruirá toda a terra com um dilúvio (Vs.14,15a).

“E sucederá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, e nela aparecer o arco, então me lembrarei da minha aliança, firmada entre mim e vós e todos os seres viventes de toda carne” (…).

 Eu não estava com uma máquina fotográfica no momento, mas tirei uma foto usando o telemóvel. E apesar da baixa definição do TM, conseguimos enxergar o arco. Veja:

O Arco é produzido pelo reflexo do sol nas gotas de chuva. Na hora eu só achei bonito, mas quando fui orar, senti Deus falar claramente comigo: Neste dia, eu estou reafirmando minha aliança com a minha Igreja, em Portugal. Já as pequenas gotas (da grande chuva que virá) estão começando a reflectir, reflexos do Sol da Justiça nos céus de Portugal! A Verdadeira Luz (Jesus) vai brilhar sobre Portugal! Meus amados, Preparemo-nos para o avivamento que virá!

E por fim, eu agradeço imenso a todas os intercessores e Igrejas que participaram conosco destes dias de intercessão por Portugal! A intensa participação de muitas Igrejas, com e-mails, informações, palavras de Deus, direções, me fizeram crer que nossa Unidade realmente é possível! Estamos juntos nesta guerra. Esta é a guerra da Igreja e a vitória da Igreja, no Senhor!  Talvez nós nunca saibamos quantos joelhos se dobraram diante de Deus, nestes dias de Oração, mas tenho certeza, que nenhuma oração foi vã ou caiu por terra, e certamente, no tempo oportuno, vamos colher os frutos. E eu quero estar aqui para testemunhar isto! Pensei em mencionar nominalmente, todos os que estiveram connosco neste propósito, mas seria injusta ao esquecer-me de alguém, então agradeço a TODOS pela perseverança e pelo compromisso! Somos um no Senhor! Continuemos, juntos, como Igreja e em oração: “Pelos nossos irmãos, por nossos filhos, nossas casas e por nossa terra” (Ne 4.14).

 Motivos de Oração: 

  • Agradeça ao Senhor por tudo o que Ele realizou nestes dias. Há acções invisíveis e espirituais, que nossos olhos ainda não viram, mas que pela fé, já se tornaram realidade sobre esta nação. Agradeça!
  • Neste dia, profetize a Palavra de Deus sobre os ares de Portugal!
  • Este é o “Dia da Libertação”, então profetize isto!
  • Profetize a Implantação do Reino de Jesus nesta nação. Nós entronizamos Jesus Cristo em Portugal. Nós declaramos que no Trono de Portugal, se sentará Jesus, para reinar com Justiça.
  • Ore pelas próximas eleições, que ocorrerão dentro dos próximos 2-3 meses.
  • Ore, agradecendo a Deus, por todos os intercessores, que estiveram connosco neste propósito. Cubra a vida de cada um com orações! E ore para que o Senhor levante muitos outros!
  • Ore por mais obreiros para esta seara!
  • Ore por uma mobilização de Evangelismo nos quatro cantos da nação! Vamos colher os frutos que plantamos nestes dias de oração!
  • Ore por um Novo Tempo, um Tempo de visitação de Deus sobre a nação e mais do que isso: ore para que a Presença de Deus repouse sobre cada pessoa desta nação. Ore por avivamento!
  • E não se esqueça: ore pelos concelhos não-alcançados, especialmente por Braga.
  • Ore pelas famílias, ore por toda a liderança e ore pela Igreja do Senhor.

Que o Senhor os recompense!   Daniele Marques

Anúncios




29º Dia – Senhor, aviva Portugal!

24 04 2011

Fizemos questão de colocar hoje uma Palavra do Pr. Salomão Oliveira, Diretor da JOCUM em Portugal, porque este homem de Deus, há muitos anos deixou o Brasil e veio como missionário para esta nação, em um tempo que não havia aqui, tantas Igrejas. Há muitos anos ele tem feito Campanhas de Oração por Portugal, tem mobilizado igrejas, trabalhado em prol da Unidade do Corpo e treinado muitos jovens para a obra missionária.  Portanto, queremos nos unir à uma oração que, por décadas, ele tem feito a Deus: Senhor, aviva Portugal! 


Por Pr. Salomão Oliveira


 “Tenho ouvido, ó Senhor, as tuas declarações, e me sinto alarmado; aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e no decurso dos anos faze-a conhecida; na tua ira, lembra-te da misericórdia” (Habacuque 3.2)

Quando pensamos em avivamento, este é o primeiro texto que nos vem à mente. Sentimos um pouco o coração do profeta. Um homem totalmente comprometido com sua geração. Não tenho a intenção, nem temos espaço aqui, para fazer um estudo bíblico, mas desejo falar um pouco do coração deste profeta, porque eu creio que uma das coisas que nós mais precisamos nos nossos dias é de referências, profetas que choram, pregam e exortam no temor do Senhor.

Cap 1- Habacuque recebe a revelação da sentença do Senhor para com Judá e ele não se mostra indiferente e entra em clamor na presença de Deus.

Até quando Senhor clamarei eu e tu não me escutarás? Gritarei sobre o que se passa na minha nação e não salvarás? Porque nos mostra a iniquidade e nos faz ver a opressão? Pois a destruição e a violência estão diante de nós, há contendas e o litígio se suscita. O perverso cerca o justo e ainda celebram a vitória por terem adquirido o direito de matar os indefesos ainda no ventre materno.” (vs.2-4)

“Vede entre as nações, olhai, maravilhai-vos e desvanecei, porque realizo em vossos dias obra tal que vós não crereis quando vos for contada” (vs. 5)

Na China, os mais optimistas crêem que há em torno de 300 milhões de crentes, ou seja, acima dos 20% da nação serve a Jesus Cristo. Em Guatemala, Nicarágua e El-Salvador existem comunidades que estão se convertendo em massa. Pequenas cidades, que dantes eram pobres e a maioria dos homens viviam embriagados pelas ruas, hoje são cidades que vivem em paz e os seus homens, excelentes agricultores.

O Evangelho, que é o poder de Deus, os tem alcançado e transformado completamente. Na própria Argentina, que passou por momentos terríveis, a igreja clamou, o povo chorou, o Senhor os ouviu e dia após dia eles têm experimentado a abundância do Senhor. O Chile, pequeno país escondido entre a cordilheira dos Andes. Poucos falam do Chile, mas é um país que também tem sido visitado pelo poder de Deus e mais de 25% da sua população ama a Jesus. O Brasil, que é conhecido no mundo pelo seu futebol, samba e violência tem a cada dia milhares que se rendem aos pés de Cristo. A cada mês centenas de igrejas são implantadas de norte a sul.

Senhor, e nós? Portugal! Até quando falaremos dos outros?
Olhe para nós… Precisamos tanto do Teu olhar!

Pôr-me-ei na minha torre de vigia, colocar-me-ei sobre a fortaleza, e vigiarei para ver o que Deus me dirá, e que resposta eu terei à minha queixa” (Cap 2.1).

Visto como despojaste a muitas nações, todos os mais povos te despojarão a ti, por causa do sangue dos homens, e da violência contra a terra, contra a cidade e contra os seus moradores. Ai daquele que ajunta em sua casa bens mal adquiridos, para pôr em lugar alto o seu ninho, a fim de livrar-se das garras do mal. Vergonha maquinaste para a tua casa, destruindo tu a muitos povos, pecaste contra a tua alma. Porque a pedra clamará da parede, e a trave responderá do madeiramento. Ai daquele que edifica a cidade com sangue e a fundamenta com iniquidade!” (Cap 2:8-12).

Dá ouvidos ó pastor de ‘Portugal’, tu, que conduzes a José como um rebanho; Tu, que estás entronizado acima dos querubins, mostra o teu esplendor…Desperta o teu poder e vem salvar-nos. Restaura-nos, ó Deus; faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos” (Sl.80.1-3).

Realmente, Senhor, diante destas declarações nos sentimos alarmados. Aviva-nos Senhor, restaura-nos, Senhor, perdoa-nos, Senhor. Ajude-nos a viver um novo tempo. Transforma os nossos corações, quebranta-nos. Arranque dos nossos corações o orgulho, a altivez e a falta de temor do Senhor, para Glória de Jesus.

                                                                         Pr. Salomão Oliveira
Director da Jocum-Portugal

Motivos de Oração:

  • Peçamos perdão a Deus pelos nossos pecados e da nossa nação.
  •  Oremos por sede pela Sua presença e pela sua Palavra.
  • Peçamos um coração quebrantado e humilde.
  • Peçamos mais compromisso com a Oração.
  • Peçamos a Deus que levante novos grupos de Intercessores.
  • Oremos por avivamento nos quatro cantos de Portugal.
  • Peçamos para que Deus levante os “Habacuques”, “Jeremias”, “Elias” e outros, comprometidos com a verdade e cheios de ousadia.
  • Peçamos novo líderes baptizados na graça e na verdade.
  • Oremos para que os crentes desta nação sejam cheios do Espírito Santo!
  • Peçamos compromisso com a unidade.
  • Oremos por um novo tempo, marcado por uma intensa Presença de Deus!
Que Deus o abençoe! Daniele Marques.





28º Dia – Ore pela Restauração do Altar!

23 04 2011

Sede meus imitadores (Palavra para Pastores e líderes)
por Ap. Luiz Hermínio dos Santos

“Lucas 11. 1”.

Introdução:

Jesus estava orando… Eles pediram… “Ensina-nos a orar”.
Eles não Pediram: ensina-nos a pregar, ou a  jejuar, ou a cantar, ou a evangelizar.

Tudo isso nasce de uma vida de oração. Eles viam o Seu líder orando. Lucas 5: 15 – 16; Marcos 6: 30 – 32; João 6: 15.
Jesus tocava seus liderados com o Seu estilo de vida.
Um líder deve influenciar seus liderados a irem a Deus. O Pai influencia seus filhos.
Ninguém segue alguém que não sabe onde está indo.
Jesus não orou por Eles, mas Ele os instruiu a orar também.

Existem dois tipos de líderes:

Líder que Comanda: Ele faz junto com os seus liderados.
Líder que Manda: Só dá ordens.
O que comanda tem autoridade e o que manda tem autoritarismo.

 Lembre-se:

Jesus não era controlado por pessoas, Ele confrontava a religião; os fariseus só mandavam, atavam fardos pesados sobre os outros. Mas Jesus os amava o suficiente para falar a verdade para eles. “Mateus 23: 1 – 39”.

Exemplo:
O jovem rico – Marcos 10: 21. “Jesus olhou para ele e o amou”.
Não comprometa a verdade para agradar os homens. Gálatas 1: 10 – 11.
Jesus confrontou os fariseus. Mateus 15: 7 – 9.
Jesus confrontou as pessoas da Sua terra. Lucas 4: 28 – 30.
Jesus confrontou os próprios familiares. João 7: 5.
Jesus confrontou seus companheiros de trabalho. João 6: 60 – 66.
Jesus confrontou seus amigos mais chegados. João 11: 1 – 3; 6: 21 – 32.
Os líderes tramavam sua morte.
Sua própria terra o rejeitou.
Sua família achava que Ele estava fora de si.
Seus companheiros saíram ofendidos.


A Palavra só faz mal para quem pratica o mal.
Mas Ele continuava determinado, obedecendo ao Pai.
Se obedecermos a Deus por amor, não nos sentiremos ofendidos quando Ele for duro conosco.
Nós precisamos entender que o amor e o julgamento de Deus são perfeitos.
Aquele que veio trazer paz ao mundo acabou trazendo espada. Mateus 10: 34.
Ele nos ama, mas conhece as intenções dos nossos corações.

Eles viam os frutos que as orações de Jesus produziam:
Ousadia – Autoridade – Intrepidez.
Ele falava manso e as pessoas diziam: “Como Ele tem autoridade”, e por isso queriam aprender a orar.

Muitos não conhecem o poder que tem.
Moisés argumentou (sou gago).
Jeremias argumentou (sou criança).
Mas suas palavras tinham vida. João 6: 63.
A Palavra que Ele nos tem dito são Espírito e vida.

Precisamos de pregações vivas e só teremos isso, se persistirmos em oração.

Se quisermos uma vida santa precisamos orar, mas se quisermos orar temos que ter uma vida santa.

Ler é bom, mas orar é melhor. Ler sobre oração e não orar é o mesmo que ler sobre culinária e não ter os ingredientes para preparar os alimentos. Tiago 5: 17 – 18 fala de Elias. Elias alterou o curso normal da natureza, estrangulou a economia, desafiou a idolatria e desafiou o ocultismo.

“Elias orou”. A oração muda às coisas, mas Ela também muda as pessoas. Precisamos de paixão na oração.

Salmos 119: 136. Torrentes de águas nascem dos meus olhos…

O sacerdote usava uma roupa de linho para entrar no Santo dos Santos, para não suar. Na adoração não entra suor (força). Só lágrimas de paixão.

“Não é por força, mas é pelo Meu Espírito”. Salmos 126: 6. O que sai andando e chorando… Nossos olhos estão secos porque nosso coração está seco e se o que sai da nossa boca não tem vida é porque nosso coração está vazio de Deus.

 Cuidado com o sucesso!

Naquele grande dia o fogo do juízo vai provar a qualidade e não a extensão da obra que realizamos.
A que foi gerada na oração resistirá ao teste.
A oração nos trará fome por almas e a fome por almas nos levará à oração.
O crente que tem visão espiritual ora e o que ora tem visão espiritual.

Não abandone o altar para construir uma torre de ambições. Gênesis 11: 1 – 4. O altar é Divino. A torre é humana.

O Maior inimigo do homem é o sucesso que ele adquire por si próprio.

O Sucesso é um campo minado, e muitos pecados estão enterrados neste campo.

Soberba, independência, estrelismo e vanglória. Lucas 5: 15 – 16.

Altares são de pedras. Torres são de tijolos. A Igreja é feita de pessoas. “Pessoas diferentes que vivem em unidade”.

“Quando deixamos de fazer o que Deus mandou acabamos fazendo o que Ele não mandou”. Aí atraímos: Problemas, confusões, maldições e divisões. Perdemos a benção quando deixamos de ser uma benção.

Desde o dia de pentecostes até hoje, os grandes avivamentos que tem havido, nasceram da oração conjunta dos crentes, mesmo que em número pequeno. Se a oração cessar nenhum movimento continua.

O mundo não é santo, é porque a Igreja não é santa.

A Igreja teve início com aqueles homens agonizando no cenáculo.

Hoje seus líderes estão se juntando em restaurantes para fazerem planos.

Ela (igreja) começou num avivamento e está terminando em um ritual.

Começou com força viril, hoje está estéril.

Os fundadores eram indivíduos de grande fervor e nenhum título.

Nós precisamos ser guiados por Deus para orientar uma geração desorientada.

Jeremias 2 Leia com atenção todo o capítulo. Você verá o que Deus espera de nós ministros do Senhor.

Se um pregador não possui o Espírito de Deus, seu escritório não passa de um laboratório onde ele disseca doutrina e cultiva dogmas para sua vida. É preciso unção para ensinar! A verdade que conforta é a mesma que confronta.

Se nós dormirmos, Igreja, o inimigo invadirá a cidade.

Não prepare só o sermão para pregar; o pregador deve estar tão preparado quanto o sermão que ele preparou.

O sermão de Pedro no dia de pentecostes impactou, mas ele só nasceu depois de perseverança na oração.

Ele simplesmente pregou o que disse o profeta Joel: “Ele pregou a Palavra”.

Não invente, pregue a Palavra. Atos 2: 14 – 36.

Pregue mensagens de consolo sim:
Para doentes.
Para enfermos.
Para abatidos.

Mas se você vê um ladrão entrar na casa do vizinho e não avisa isto é crime.

Conclusão:

Atos 19: 15 – O inferno conhecia Paulo.

Este é o maior elogio que o inferno pode fazer a alguém. “Conheço Jesus… sei quem é Paulo”. Associar seu nome ao de Jesus.

Porque os demônios O conheciam?

  • Ele foi ao terceiro céu.
  • Os anjos O serviam.
  • Suas orações provocavam terremoto em prisões.
  • Suas orações estraçalhavam grilhões.
  • Estabelecia igrejas por onde passava.
  • Conquistou almas debaixo do nariz do imperador em Roma.
  • Sentia-se a vontade na presença de Reis, Governadores e Tetrarcas.
  • Invadiu o domínio da capital intelectual do mundo com a mensagem do Evangelho.
  • Deixava confusos os sábios.

Resumindo: Enquanto Paulo viveu, o inferno não teve paz.

E depois que morreu Sua mensagem ecoou até nossos dias, e continua sacudindo o inferno.

Este homem é bom imitar:

II Co 12:5… De um (homem) assim me gloriarei.

Paulo foi à cruz e experimentou o milagre da regeneração.

Mas depois quando foi crucificado com Cristo conheceu um milagre maior, o da identificação.

“Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. Gálatas 2: 20.

Não tinha ambições pessoais…

Por isso não tinha nada para zelar;

Não tinha mais reputação…

Logo não tinha que lutar para se defender;

Não possuía bens…

Portanto nada com o que se preocupar;

Não tinha direitos…

Por isso não se julgava vítima de injustiça;

Estava morto: Quem poderia matá-lo?

Era o menor dos menores: Quem poderia humilhá-lo?

É este o homem que diz: “Sede meus imitadores”.

“O que aprendestes, recebestes e ouvistes de mim e em mim vistes, isso farei… e o Deus de paz será convosco”. Filipenses 4: 9.

 Ap. Luiz Hermínio, pastor presidente da Missões Evangelísticas “Vinde Amados Meus”  (http://www.mevam.org.br/)

Motivos de Oração (em favor dos pastores e líderes de Portugal): 

  • Peça perdão pelos pecados dos pastores e líderes desta nação.
  • Ore para que todos vivam uma vida de arrependimento, quebrantamento e contrição.
  • Ore por humildade, por um coração ensinável e dependência de Deus.
  • Ore pela restauração completa do altar.
  • Ore para que Jesus seja sempre o centro de suas vidas e ministérios.
  • Ore pela cura da alma e perdão.
  • Ore para que o corpo, alma e espírito vivam em renovo diário.
  • Ore por saúde física.
  • Ore para que eles tenham um maior tempo de oração, busca e lágrimas diante do Senhor.
  • Ore por sabedoria, conhecimento, revelação e visão.
  • Ore pela quebra de toda religiosidade.
  • Ore pelo testemunho (que sejam sempre irrepreensíveis).
  • Ore por fidelidade.
  • Ore por liberalidade nas finanças.
  • Ore por provisão, sustento e prosperidade.
  • Ore por unção, intrepidez, fé, avivamento e também unidade entre os líderes.
  • Ore para que todos os líderes sejam “pais” espirituais.
  • Ore para Deus levantar muitos pastores de pastores.
  • Ore pelas famílias dos líderes, para que todos estejam guardados e rendidos diante do Senhor.
Que Deus te abençoe. Daniele Marques.




27º Dia – Oremos pelo Discipulado Eficaz!

22 04 2011

Quando a Daniele nos ligou e nos falou do propósito de orar por Portugal durante 30 dias, logo os nossos corações (o meu e da minha esposa Priscilla) aqueceram, pois Deus não esqueceu de Portugal e levanta homens e mulheres de oração todos os dias em favor desta nação.

Numa de nossas conversas com a Daniele, abordamos o tema discipulado. E o que tem a ver discipulado com o propósito de orar por Portugal?

Tem tudo a ver!!! Devemos orar para que a nação portuguesa seja bem discipulada por homens e mulheres de Deus que possam reproduzir a vida de Cristo em outros, que sejam canal desse DNA maravilhoso que é o sangue de Jesus e que saibam também cuidar dessas vidas preciosas que o Senhor coloca em nossas mãos.

A nação portuguesa precisa de bons discipuladores, pessoas comprometidas com o evangelho verdadeiro e genuíno, discipuladores que saibam reproduzir a vida de Cristo sobre esta nação e discipuladores que atendam o chamado da grande comissão:

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28:19).

Esta ordem é bem clara para o povo de Deus: devemos fazer discípulos, pessoas que sigam a nossa fé em Cristo Jesus, pessoas que estão dispostas a renunciar o pecado e viver uma vida nova com Deus.

“Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?” (Rm 10:14)

Vamos sonhar os sonhos de Deus e implantar o Seu reino também, aqui nas terras portuguesas. “Jesus disse: Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu Reino…” Mt 6.33. Portugal está precisando que o Reino de Deus seja estabelecido e não o reino de homens. A situação está muito complicada por aqui, não apenas por causa da crise económica, mas também porque as pessoas têm estado muito deprimidas, a violência está aparecendo… e etc. Temos que orar para reflectir e reproduzir a glória de Deus nesta nação e para que o povo desta terra pare de olhar para a sua própria “auto-suficiência” e deseje ser parecido com Cristo. Quando uma nação não conhece a Jesus, ela reproduz o pecado e os pecadores, mas quando uma nação conhece a Jesus, ela passa a reproduzir santos lutando contra o pecado.

Desde a criação do homem, o Nosso Deus deseja estabelecer o Seu reino aqui na terra, pessoas que reflictam a sua glória. Quando Deus criou Adão e Eva, Deus os criou a Sua imagem e a Sua semelhança e lhes deu uma ordem: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra…” Gn 1:28. Por quê Deus deu esta ordem? Porque Adão e Eva gozavam de perfeita comunhão com Deus e, assim, reflectiam a glória de Deus perfeitamente. Se eles não tivessem cometido o pecado, os seus filhos, netos, bisnetos e todos os seus descendentes iriam reflectir a glória de Deus, eles cresceriam, se multiplicariam e toda a terra ficaria cheia da glória de Deus, como as águas cobrem o mar. Mas, infelizmente, o homem pecou, e eles passaram a reproduzir filhos de acordo com a sua própria natureza: não mais uma natureza divina, mas uma natureza pecaminosa, corrompida.

Contudo, o plano original de Deus nunca mudou. Mesmo que o homem natural, por causa do pecado, não reflicta a glória de Deus, aquelas pessoas que já nasceram de novo verdadeiramente reflectem a Sua glória. Então a ordem de Deus continua a mesma: “Eu quero o Meu Reino implantado sobre toda a terra e isto vai acontecer quando os meus filhos colocarem o Meu Reino em primeiro lugar, crescerem e se multiplicarem até que toda a terra esteja cheia de pessoas que reflictam a minha Glória”.

A sociedade é transformada a partir do outro, e com a nação portuguesa também ocorre o mesmo. Por isso, oremos para que nós, os discípulos de Cristo, sejamos agentes transformadores e reprodutores da natureza de Cristo nesta nação, nesta sociedade, nestas vidas, e que os portugueses e todos os estrangeiros que aqui vivem, venham desejar se relacionar com o perfeito que é Jesus Cristo, pois só assim teremos um Portugal reflectindo a glória de Deus. E como fazer esta transformação na nação?

Através do DISCIPULADO. Jesus priorizou o discipulado na Sua vida aqui na Terra. Antes de escolher os seus discípulos, Ele orou a noite toda e uma grande parte do seu tempo foi ocupada investindo na vida deles: ensinando-os e sendo um exemplo para eles. Então, nós desafiamos você, amado irmão, a fazer como Jesus, orar, ser um exemplo, e discipular pessoas, fazendo delas seguidoras de um Deus Todo-Poderoso, reprodutoras da natureza de Cristo, e embaixadores que podem mudar o rumo de uma nação. Um povo que se santifica, que adora, que clama a Deus, que vive a natureza de Cristo, e o reconhece como Senhor e Salvador, prospera, frutifica e torna-se referência para outras nações. E é assim que Portugal vai mudar e recomeçar!

Feliz é a nação cujo Deus é o SENHOR, e o povo ao qual escolheu para sua herança” Sl 33:12

Faça a diferença! Seja um discipulador! Gere a vida de Cristo, gerando Discípulos de Cristo!

(Prs. Dantas e Priscilla, Igreja Batista Shekinah – Portugal)

Motivos de Oração:

  • Para que o povo de Deus esteja envolvido na grande comissão: Fazer Discípulos.
  • Para que possamos fazer discípulos e cuidar bem de cada um.
  • Para que o Reino de Deus seja estabelecido em Portugal.                      
  • Para que Portugal reflicta a glória de Deus para outras nações.
  • Para que os portugueses abram as portas das suas casas para o discipulado.
Continuemos em Oração! Que Deus os abençoe. Daniele Marques.






26º Dia – Ore por Santificação e Vida de Testemunho!

21 04 2011

A Santificação do Corpo (por Pr. Luciano Subirá)

É preciso entender que todo cristão deve trazer em si a marca de “santidade ao Senhor”, à semelhança do sacerdote da lei mosaica, que trazia esta inscrição na mitra (Ex 28.36-39). Portanto queremos trazer luz sobre o processo de santificação e, em especial, a santificação do corpo, uma vez que vivemos dias em que a imoralidade que impera no mundo tem entrado pelos portões da Igreja.

É necessário começar estabelecendo fundamentos da doutrina de santificação, portanto quero iniciar pelo que considero o fundamento principal deste assunto:

“À igreja de Deus que está em Corinto, aos SANTIFICADOS em Cristo Jesus, CHAMADOS PARA SEREM SANTOS, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso” (1 Coríntios 1.2)

O texto acima nos mostra que a santificação tem duas etapas:

inicial – “santificados em Cristo Jesus”;

progressiva – “chamados para serem santos”.

Quando a Bíblia usa o termo “santificados” em Cristo Jesus, não fala de algo que está acontecendo, mas sim de algo que já aconteceu; está no tempo passado. Vários outros textos confirmam que ao encontrarmos Jesus e nascermos de novo, fomos santificados (At 26.18, 1 Co 6.11, etc). Todo o passado de pecado foi removido e a sujeira espiritual foi lavada (Tt 3.5); tornamo-nos novas criaturas e as coisas velhas já passaram (2 Co 5.17).

Por outro lado, a mesma Bíblia mostra que depois de termos passado por esta santificação, ainda há necessidade de algo mais, pois o mesmo texto também diz: “chamados para serem santos”. Estes mesmos que foram santificados inicialmente (uma experiência instantânea) são chamados para SEREM santos. Em outras palavras, o que Deus começou agora deve ser mantido e desenvolvido por cada um de nós.

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus” (Hebreus 12.14)

Ao falar sobre seguir a santificação, a Bíblia está falando de um processo. Esta carta foi dirigida a pessoas cristãs, portanto já haviam passado pela santificação inicial do novo nascimento. Porém, elas necessitavam de algo mais: um processo de santificação. E o que diferencia estas duas etapas da santificação?

O fato do homem ser tripartido (composto de três partes distintas), bem como o da salvação divina tocar de modo distinto cada uma destas partes:

“E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso ESPÍRITO e ALMA e CORPO sejam conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 5.23)

Quando o apóstolo Paulo fala sobre Deus nos santificar “completamente”, está falando sobre o nosso ser inteiro, que é composto de espírito, alma e corpo.

Seu espírito é a parte de si que tem consciência de Deus e das coisas espirituais. Sua alma é a parte de si que tem consciência de si mesmo. Já seu corpo é a parte de si que tem consciência das coisas naturais. A salvação divina atinge cada uma destas três partes da seguinte maneira:

ESPÍRITO – já passou pela santificação inicial que se deu na ocasião da regeneração (2 Co 1.21 – Tg 1.18 – 1 Pe 1.21). Agora se desenvolve mediante o processo de crescimento (1 Pe 2.2 – Ef 5.15) que corresponde ao crescimento natural (1 Co 3.1-3 – Hb 5.13,14);

ALMA – é a nossa personalidade; sede das emoções, intelecto e vontade. Não é regenerada, mas restaurada (Tg 1.21) pela Palavra de Deus. Enquanto a santificação do espírito é inicial e imediata, a santificação progressiva tem seu lugar na alma e no corpo. É o processo de mudança de valores (Lc 5.33-39 – Ef 4.23 – Jr 18.1-6 – Rm 12.1,2) que também chamamos de desenvolver a salvação (Fl.1:6 e 2:12) e despir-se do velho homem (Ef 4.20 a 5.21);

CORPO – nosso corpo só será totalmente santificado depois de transformado (Rm 8.23 – Fl 2.21 – 1 Co 15.50-53). Até que isto aconteça, a santificação do corpo é o processo contínuo de sujeitar a carne (1 Co 9.27), guardar-se da imoralidade (1 Co 6.13-20 – 1 Ts 4.1-8) e usar adequadamente os membros do corpo. A santificação do corpo abrange ainda a nossa forma de falar e de vestir (Ef 4.25,29 – 1 Tm 2.9,10).

O que aconteceu em nosso espírito – a regeneração – é o que chamamos de santificação inicial. Porém o processo de restauração da alma e sujeição da carne é o que chamamos de santificação progressiva. Ao destacar cada uma das três partes que compõem nosso ser enquanto falava da santificação, o apóstolo Paulo estava nos mostrando a necessidade de trabalharmos com cada parte em separado. Escrevendo aos Coríntios, ele falou sobre nos purificarmos das imundícies tanto da carne como do espírito (2 Co 7.1).

Reconhecida esta diferença, avancemos em nossa meditação considerando o que a Bíblia fala sobre a santificação do corpo, que é o enfoque deste estudo:

Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, QUE CADA UM DE VÓS SAIBA POSSUIR O SEU VASO EM SANTIDADE E HONRA, não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus; ninguém iluda ou defraude nisso a seu irmão, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos. Porque Deus não nos chamou para a imundície, mas para a santificação. Portanto, quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vos dá o seu Espírito Santo” (1 Tessalonicenses 4.3-8)

Diante do que as Sagradas Escrituras afirmam neste texto, podemos extrair cinco princípios:

1) Abster-se da prostituição;

2) Possuir o corpo em santidade e honra;

3) Não iludir ou defraudar o irmão nesta área;

4) Deus é vingador;

5) Rejeitar a santificação é rejeitar a Deus.

Examinemos o que a Bíblia tem a dizer sobre cada um deles…

ABSTER-SE DA PROSTITUIÇÃO

O maior inimigo da santificação do corpo é, sem dúvida alguma, a prostituição. É interessante notar que este tipo de pecado não desaparece automaticamente da vida de alguém que nasceu de novo, senão a Bíblia não diria justamente aos nascidos de novo para absterem-se deste tipo de pecado. É impressionante a quantia de vezes em que a Bíblia adverte seus leitores (o povo de Deus) quanto aos perigos deste tipo de pecado! A prostituição (este termo inclui todos os pecados de ordem sexual) é um pecado diferente dos demais:

“Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo” (1 Coríntios 6.18)

Há algo por trás deste tipo de pecado que ainda não temos percebido. O que Paulo está enfatizando na carta aos irmãos de Corinto é o valor e santidade que o corpo deve ter como templo do Espírito Santo. Observe o contexto deste texto:

“Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará, tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Ora, Deus não somente ressuscitou ao Senhor, mas também nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei pois os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum. Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um só corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne. Mas o que se une ao Senhor é um só espírito com ele. Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo” (1 Coríntios 6.13-20)

Quando meditamos nesta porção bíblica a ponto de deixa-la penetrar em nosso íntimo, uma nova consciência vai se formando. Abster-se da prostituição é um imperativo para todo cristão porque seu corpo é templo do Espírito Santo de Deus! O corpo não foi feito pelo Criador para se prostituir, e sim para carregar em si a presença de Deus, o que não pode acontecer quando o santuário é maculado.

Deus criou o corpo do homem com um destino bem definido. Assim como Ele fez o estômago para os alimentos (e vice-versa), o que revela um propósito e destino bem específico, assim também projetou e idealizou o corpo para ser seu santuário. Desde o início Deus queria fazer de nós sua habitação. O corpo não foi criado para a prostituição, mas para ser SANTO de modo a servir como morada de um Deus santo!

POSSUIR O CORPO EM SANTIDADE E HONRA

Não somos donos de nós mesmos. Foi exatamente isto que Paulo afirmou aos Coríntios:

“Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo” (1 Coríntios 6.13-20)

Deus nos comprou pelo sangue vertido de Jesus na cruz. Agora não mais pertencemos a nós mesmos, mas sim a Deus. Nosso corpo deixou de ser nosso e passou a ser do Senhor, e Ele deseja que o glorifiquemos com o uso correto do nosso corpo.

Precisamos aprender a “possuir” (usar, ser mordomo) o corpo em santidade e honra. Isto fala na apenas de na nos prostituirmos, mas até mesmo da maneira como tratamos nosso corpo: alimentação, vestuário, etc. isto serve para todos, mas em especial para as mulheres! Não creio que possuir o corpo em santidade (diante de Deus) e honra (diante dos homens) inclua o uso de roupas sensuais e provocantes. O crente deve ser diferente! Isto não significa que teremos algum tipo de uniforme (terno para os homens e vestido para as mulheres, por exemplo), mas que devemos mostrar zelo pelo santuário de Deus e não defraudarmos uns aos outros nesta matéria. O ensino bíblico não deixa isto passar em branco:

“Quero, do mesmo modo, que as mulheres se ataviem COM TRAJE DECOROSO, com modéstia e sobriedade…” (1 Timóteo 2.9a)

Não devemos faltar com o decoro, mas honrar ao Senhor até na forma como nos vestimos. Isto também é possuir o corpo em santidade e honra!

NÃO DEFRAUDAR O IRMÃO

A prostituição é um pecado que não afeta só quem o pratica, mas também quem se envolve nele. Quando duas pessoas se envolvem e ambos são cristãos, além de terem pecado contra Deus e o seu corpo, defraudaram um ao outro. Lesaram uma outra pessoa e vão dar conta a Deus pelas duas coisas…pois a Bíblia declara que Deus é vingador destas coisas!

DEUS É VINGADOR

Os pecados de prostituição não ficarão impunes. A Bíblia diz que Deus é vingador destas coisas. Em Provérbios 6.29 lemos que não ficará impune aquele que tocar a mulher de seu próximo. Deus julgará os pecados de prostituição!

Alguns crentes não levam a sério o ensino bíblico e “brincam” com a graça divina, esquecendo-se que “de Deus não se zomba; tudo quanto o homem semear, isto também ceifará”, Gl 6.7. Quando escreveu sua primeira epístola aos Coríntios, o apóstolo Paulo declarou:

“Nem nos prostituamos, como alguns deles fizeram; e caíram num só dia vinte e três mil” (1 Coríntios 10.8)

A menção aqui é ao episódio que se deu quando os israelitas estavam nas proximidades de Moabe (Nm 25.1-9) e se entregaram à prostituição com as moabitas. E o relato bíblico mostra que uma praga matou mais de vinte mil homens num só dia! Não se tratava de uma coincidência, mas de juízo sobre o pecado. Quando Finéias, neto de Arão, fez expiação pelo povo, a praga cessou (Nm 25.10-13). Deus é vingador destas coisas!

REJEITAR A SANTIFICAÇÃO É REJEITAR A DEUS

Muitos fazem pouco caso da mensagem de santidade e acham que estão desprezando um pregador, mas o que a Palavra de Deus de fato ensina é que, quem assim o faz está rejeitando ao próprio Deus e não aos homens que Ele levantou para proclamarem estas verdades.

Sem santificação ninguém verá ao Senhor. Portanto, o que rejeita esta mensagem rejeita ao próprio Deus!

FUGIR É O MELHOR REMÉDIO

Há pessoas que acham que a melhor maneira de lutar nesta área é resistir este inimigo, mas o conselho bíblico é bem diferente. Não fala de enfrentar ou resistir, mas sim de fugir! Paulo, escrevendo a Timóteo, disse: “Foge também das paixões da mocidade”, 2 Tm 2.22. Quando José se encontrou em dificuldades de resistir os apelos da mulher de Potifar a melhor saída que ele encontrou foi correr! Ela não representava uma ameaça física a José; não podia violenta-lo…o único perigo que José viu foi em si mesmo, na sua carne e desejos. Mas não lidou com o problema de nenhuma outra forma a não ser fugir.

Fuja das ofertas do pecado e conserve-se em santidade ao Senhor. Além da benção presente, saiba que haverá um galardão e recompensa para aquele que vencer.

Quando o apóstolo Paulo escreveu aos coríntios, advertindo-os quanto ao perigo deste pecado deu o mesmo conselho: “Fugi da prostituição”, 1 Co 6.18. Sempre que a Bíblia fala sobre este pecado, ensina a mesma saída. Portanto, siga este conselho!

Que o Senhor o conduza a um viver vitorioso de santidade.

Autor: Luciano P. Subirá. É o responsável pelo Orvalho.Com (http://orvalho.com/) – um ministério de Ensino Bíblico ao Corpo de Cristo. Também é pastor da Comunidade Alcance em Curitiba/PR. Casado com Kelly, é pai de dois filhos: Israel e Lissa.


Motivos de Oração:

  • Pedindo perdão pelos pecados cometidos pela Igreja em Portugal e por todo mau-testemunho. 
  • Para que cada crente em Portugal, busque a santificação.
  • Para que a Igreja em Portugal, seja exemplo no testemunho, no trato, no amor, na verdade, na transparência, na vida santa e irrepreensível.
  • Para que os crentes vivam uma vida de vigilância e temor, evitando a defraudação, fugindo da prostituição e de toda oferta e aparência do mal.
  • Para que cada crente, aprenda a possuir seus corpos em santidade e honra, para a Glória de Deus.
Que Deus os abençoe. Daniele Marques.






25º Dia – Oremos pela Unidade da Igreja em Portugal!

20 04 2011

A UNIDADE DA IGREJA NA CIDADE

A palavra Igreja e seu uso no Novo Testamento

A palavra igreja vem do vocábulo grego “Ekklesia”, que aparece 114 vezes no N. Testamento.

  • No singular aparece 17 vezes referindo-se a IGREJA UNIVERSAL (Mt 16:18; Ef 1:22; Cl 1:18; etc.).
  • No singular aparece 49 vezes referindo-se a IGREJA LOCAL (Mt 18:17; I Cor 1:2; etc.).
  • No plural aparece 38 vezes e se refere as IGREJAS LOCAIS de diversas localidades (Atos 9:31; II Cor 11:8; Apoc 1:4 e 11; etc.).
  • Aparece 10 vezes em várias formas (Rom 16:5; Heb 12:23; Atos 19:32,39,40).


A Igreja na Cidade

Nos tempos dos primeiros apóstolos e pais da igreja, a totalidade dos crentes que viviam em uma cidade formavam a ÚNICA igreja  daquele lugar. Não havia naqueles dias duas ou mais igrejas coexistindo simultaneamente em uma mesma localidade. Não há nenhum relato bíblico que se refere a pluralidade de igrejas em uma mesma localidade.

No capítulo 11 do livro de Atos se relata o nascimento da igreja em Antioquía. É a primeira comunidade mista onde não existe a parede de divisão, entre Judeus e gentios. Esta mistura , permite ter uma visão mais ampla da extensão do Reino de Deus. Com uma clara visão apostólica, a igreja de Antioquía chega a ser a mais missionária daqueles tempos. Barnabé e Paulo saem de Antioquía fundando as igrejas por todo mundo conhecido. Ao cabo de alguns anos , encontramos a igreja do Senhor em cidades ou localidades como Iconio, Listra, Filipos, Tessalonica, Eféso, Corinto, etc. Em cada localidade fundaram uma só igreja. A nenhum dos apóstolos fundadores havia ocorrido levantar “outra” igreja se já existia uma em cada localidade.. Quando Apólo chegava a uma cidade, não se lhe ocorria levantar “outra igreja” de acordo com seu estilo. Se assim o fizesse estaria realizando uma divisão no corpo de Cristo.

A igreja mencionada nas Sagradas Escrituras está fundada sobre o princípiode que em cada cidade deve haver uma só igreja.
Para eles era improcedente, por estar reunido com a mesma natureza da igreja, pretender edificar “outra igreja” na mesma localidade quando já havia uma. Tal pretensão supõe atentar contra o corpo de Cristo. Este princípio foi tão claro para os apóstolos que as igrejas se denominava pelo nome da localidade. A única maneira de identificar uma igreja determinada era pelo nome da cidade em que estava. Isto deixa muito evidente duas realidades que estamos sustentando:
1) O nome da cidade dava a cada comunidade a sua identidade.
2)Em cada cidade havia uma única igreja , pois nunca se disse no Novo Testamento: “…. as igrejas que estão em uma determinada cidade.” Em outras palavras, a totalidade dos filhos de Deus que viviam em uma cidade formavam a única igreja dessa cidade.

  • “a igreja que estava em Jerusalém” ( At 11: 22)
  • “a igreja que estava em Antioquía,”( At 13:1)
  • “a igreja de Deus que está em Corinto”. ( I Co 1:2 e II Co 1:1)
  • “a igreja em Éfeso…. a igreja em Esmirna…. a igreja em Pérgamo…. a igreja em Tiatíra….. etc. ( Ap 2:1, 8, 12, 18…).

 Interpretações errôneas sobre a unidade da igreja

Quando se fala sobre a unidade da igreja, muitos interpretam erroneamente o que isto significa, não porque haja má intenção, senão porque nosso contexto de igreja nos desorienta. A situação de anormalidade na qual vivemos não nos permite compreender com clareza como pode funcionar uma igreja em cada localidade. É necessário atuar com paciência e maior dependência do Espírito Santo para que Ele clareie nossos pensamentos e ilumine o nosso espírito.

  • Um erro comum é pensar que a igreja da localidade deve funcionar em um só edifício. Estão tão ligado ao conceito igreja-edifício que parece que não se pode pensar em uma só igreja na localidade sem imaginar a todos em um só edifício. Temos que repetir até cansar que o edifício não é a igreja; sem parar, se segue chamando ao edifício com o termo “igreja”. Isto faz com que se continue se associando igreja com edifício.
  • Outro erro é pensar que todos temos que ser membros da mesma instituição. Todavia é comum pensar que se somos da mesma denominação somos um. Esta herança ficou na igreja pelo ensinamento tão marcado de que cada organização tinha que levantar uma congregação em cada povo ou cidade, ainda que já tivesse outros grupos cristãos estabelecidos, considerando normal as divisões, e que só tinha que manter a unidade denominacional. Graças a Deus, muitos pastores, sem necessidade de romper seus vínculos denominacionais, estão relacionando-se cada vez mais com outros pastores da localidade; não obstante, há outros líderes que Deus está levando há uma relação mais estreita com os pastores de sua cidade, quebrando as barreiras mais tradicionais.
  • Um erro todavia mais sutil é pensar que a unidade da igreja em uma cidade consiste em reunir a todos os membros da igreja em uma reunião dominical ou semanal. Por supor que fazer reuniões conjuntas periodicamente que é muito bom; porém seria um erro pensar que a unidade da igreja é fazer reuniões com todo o povo. Bem no começo da renovação nos libertamos da associação igreja-edíficio; porém muitos não conseguem libertar-se da associação igreja-reunião. A reunião conjunta é uma expressão da igreja, porém não é a única nem fundamental. Por muitos anos, a igreja por causa da perseguição não podia ter uma só reunião para expressar sua unidade; não obstante, funcionava como uma só igreja.

Não confundamos a unidade da igreja com estar todos debaixo de um mesmo teto, nem com uma só instituição legal, nem tampouco com a reunião . Nosso contexto de igreja é o que nos condiciona a pensar que esta conduta colectiva é a mais importante expressão da unidade da igreja.

 A Igreja: Um só Corpo

A igreja deve funcionar em cada localidade como UM SÓ CORPO. Ao pensar na igreja como UM SÓ CORPO nos liberamos de limitar a unidade da igreja a edifícios, reuniões ou instituições. E abrimos nossa mente a multiforme sabedoria de Deus para entender o funcionamento da igreja da cidade. Quando pensamos em um corpo, pensamos em algo dinâmico, não estático; flexível , não rígido; adaptável, dócil. A figura do corpo é muito eloqüente e funcional; porque uma vez que em um corpo, estão todos os seus membros sujeitos uns aos outros formando uma unidade orgânica. Paulo declara em Efésios 4: 16 “do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, …” Quando pensamos na igreja como corpo, fica mais claro que há coisas que são circunstanciais . Pode celebrar-se na localidade uma reunião, ou dez reuniões, ou cinqüenta reuniões em lugares diferentes. Podem ter um edifício, ou muitos edifícios, ou nenhum. Todas estas coisas são circunstanciais. O ser uma só igreja na cidade não depende destas coisas que estamos considerando. Porém é fundamental que a igreja em cada cidade chegue a “SER” UM SÓ CORPO, de um modo real, funcional e visível .

  • I Co 12: 20 Agora, porém, há muitos membros, mas um só corpo.
  • I Co 12: 27 Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros.
  • Ef 1: 22,23 e sujeitou todas as coisas debaixo dos seus pés, e para ser cabeça sobre todas as coisas o deu à igreja, que é o seu corpo, o complemento daquele que cumpre tudo em todas as coisas.
  • Cl 1: 18 também ele é a cabeça do corpo, da igreja; …..

 Os Apóstolos: (Anciãos) Fator de Unidade

Jesus Cristo é o cabeça da igreja. Ele é quem governa e tem toda autoridade.Ele é quem cobre, santifica e sustenta. Portanto a autoridade da igreja é uma autoridade delegada e está diretamente relacionada com a submissão que se manifesta ao cabeça; porém, fundamentalmente, a submissão aos Apóstolos (anciãos = mais experientes), já que estes são os guias e canais para abençoar o povo.

Quando os reis de Israel faziam a vontade de Deus, e o povo seguia essa linha de conduta, e honravam o Senhor Ele os abençoava. Por outro lado quando os reis viviam conforme os seus próprios caminhos, o povo sofria as conseqüências e se apartava do Senhor. No concílio de Jerusalém se reuniram os apóstolos e anciãos para tratar sobre o tema da circuncisão. Logo, comunicaram a igreja o seguinte: “nos pareceu bem a nós e ao Espírito Santo….”

Em Antioquía foi o Espírito Santo que falou aos líderes da igreja acerca de Paulo e Barnabé. Essa relação com o Espírito Santo é que outorga autoridade aos apóstolos e anciãos para conduzir o povo nos propósitos de Deus e levar a igreja ao cumprimento de sua vontade.

A vontade de Deus é a UNIDADE DA SUA IGREJA. Os líderes da igreja podem ser um meio para unir o povo do Senhor ou para dividir ainda mais a casa de Deus. Os pastores de cada localidade devem funcionar como um só presbitério. Deus nos conceda graça para sermos fator de unidade.

 A Igreja : Um só Fundamento

A preocupação do apóstolo Paulo foi a unidade da igreja em uma mesma localidade. Não há nenhum conceito que permita que os crentes de uma mesma localidade se dividam, formando grupos em torno do ministério de diferentes apóstolos. Alguns diziam “eu sou de Paulo”, outros “eu sou de Apólo”, ou “eu sou de Cefas”, o ” eu sou de Cristo”. O apóstolo declara: “Ninguém pode por outro fundamento além do que já esta posto, o qual é Jesus Cristo”.

 Cuidados e Advertências

A unidade da igreja não é a unidade da “vassoura” onde se ajunta tudo: tudo que se chama “igreja”, tudo que se chama “cristão”.

  • A unidade se dá com aqueles que são da mesma espécie: com quem deve ser? Com somente os evangélicos? Com os protestantes? Com os católicos? Com quem? Com os que nasceram de novo? Ainda que alguns digam que tiveram uma experiência de conversão, ainda que digam que nasceram de novo, hoje constatamos que isso não é nenhuma garantia de que são filhos de Deus. Jesus nos ensinou a diferenciar entre os que “são” e os que se “dizem”; Jesus disse: POR SEUS FRUTOS OS CONHECEREIS. O santo só se une com o santo. A espiritualidade na igreja trará como conseqüência a unidade. Se quisermos unir o carnal com o espiritual, provocaremos mais divisão. A casa de Saul e a casa de Davi não puderam marchar juntas, porém na medida em que o espiritual vai se fortalecendo a carne irá se debilitando e alcançar-se a maior unidade.
  • A unidade vem com o reconhecimento de autoridade. A unidade não deve dar-se só porque estamos de acordo. Estar de acordo é necessário, como é a santidade e a integridade. Porém também é necessário o reconhecimento de autoridade. Sempre me chamou a atenção Atos 8:1, onde se diz: “que todos foram dispersos, exceto os apóstolos“. No meu entender esta unidade apostólica foi o ponto de referência para a unidade da igreja. Também a atitude de Paulo, que não decide por sua própria conta a não circuncisão dos gentios, senão que sobe a Jerusalém para tratar do assunto com os demais apóstolos, reflete a unidade que havia na igreja. Isto se dava pelo reconhecimento do princípio de autoridade. Paulo podia ter decidido por sua própria conta nas igrejas que havia fundado e que estavam sob os seus cuidados; porém consciente de que a igreja é uma, se submete a toda autoridade. Logo, o apóstolo Pedro em sua carta reconhece o ministério e a revelação que havia em Paulo, o apóstolo; o reconhecimento desta autoridade mantinha e deixa evidente a unidade que havia na igreja . Devemos reconhecer os ministérios e os dons que Deus vai levantando na localidade onde residimos se quisermos alcançar a unidade.
  • Nossa Vocação Pela Unidade. Por causa das divisões da igrejatemos empobrecido. Os ricos recursos ministeriais do corpo de Cristo estão dispersos. A maioria das congregações tem um ministério uni-pastoral (singular). Um só homem não reúne em si mesmo todos os dons e ministérios. Estamos desarticulados. Não funcionamos como um corpo. A Bíblia nos fala de diversidade de ministérios. Onde estão? Onde estão os apóstolos e os profetas? Onde estão os que pastoreiam os pastores? Todavia não existe suficiente consciência de que um dos grandes dramas da igreja é a solidão ministerial? Até quando seguiremos assim? A igreja em cada localidade deve funcionar como um só corpo. Deve assumir, com todas as congregações do lugar, sua IDENTIDADE como A IGREJA DA CIDADE, pois tão somente em unidade poderá cumprir com sua missão integral no mundo.

Se juntos aos nossos irmãos da localidade assumimos nossa responsabilidade de que somos luz e sal, os problemas da cidade se tornam nossos problemas e assumimos nosso compromisso. Os pobres, os órfãos, as viúvas que estão desamparadas, as crianças e anciãos abandonados, os que sofrem injustiças,etc. , serão o peso da igreja da cidade.

Porém quando vemos todos estes problemas, e estamos sós nos apavoramos e dizemos: impossível para a nossa congregação. Porém quando enfrentamos em conjunto com os demais irmãos, PODEMOS; porque no corpo estão todos os recursos. Por causa da divisão estamos gastando mal os nossos esforços e duplicando os nossos trabalhos. NECESSITAMOS DA UNIDADE.

  • Não nos resignemos a uma igreja dividida, como inimigos guerreando.
  • Não nos conformemos com o fato de nossas congregações estejam mais ou menos bem.
  • Não aceitemos a teologia da resignação, que diz que somos um em espírito.
  • Não condenemos aquele que não vê, não compreende, ou que não tem fé. Só Deus pode revelar a sua palavra.
  • Cremos que a unidade da igreja tem que ter sua expressão prática na localidade e que todos os crentes da cidade formam um só corpo.
  • Cremos que Deus paulatinamente irá restaurando a unidade de sua igreja em cada cidade ou povo.
  • Cremos que Deus previamente através do Espírito Santo, nos levará a um nível de santidade e espiritualidade que fará DESEJAVEL a unidade.
  • Cremos que Deus fará, pois a unidade da igreja é um milagre tão grande que só Deus pode fazer.
  • Cremos que a cruz irá operando em cada um dos pastores, depondo toda atitude carnal que impede a unidade.

(Parte do livro: A Igreja Normal, de Watmannee)

Motivos de Oração:

Pela UNIDADE DA IGREJA. em Portugal.
Para que sejamos UM:

a)       No Fundamento (1 Co 3.11)

b)       No Pensamento (Fl 4.8)

c)        Nas Atitudes (At 4.33)

d)       Na Concordância (1 Co 1.10)

e)       Na Divisão das tarefas, como Corpo (1 Co 12.20)

f)         Nas Conquistas (At 5.14)

Que Deus o abençoe! Daniele Marques






24º Dia – Oremos por Braga!

19 04 2011

Hoje, nosso Motivo de Oração vai para Braga, o Distrito menos alcançado de Portugal. Segundo a Aliança Evangélica Portuguesa, BRAGA é a Prioridade Número 1 e precisa urgentemente ser evangelizada. Braga clama por Missionários. Esse Distrito deve estar no topo de nossa lista de Orações.

Distrito de Braga encontra-se localizado na Região de Entre Douro e Minho e compreende 14 concelhos, abrangendo uma área total de cerca de 2.705,1 km2. É em grande parte, montanhoso, sendo atravessado por três grandes serras: a Serra da Cabreira, a Serra do Gerês e a Serra da Falperra, e por vários cursos de água: os rios Vizela, Ave, Este, Cávado, Neiva e Homem.

População residente: 830 292 (Dados de 2001 do INE)

Braga tem 62 freguesias (Mapa: http://portugal.veraki.pt)

O catolicismo é muito forte neste Distrito, que possui uma infinidade de Igrejas Católicas e monumentos religiosos. Para você ter uma idéia da influência da religião em Braga, veja o vídeo (Eu preferi assistir sem som):

Braga é um distrito com pouquíssimas Igrejas Evangélicas e há muitas Localidades sem  Nenhuma Igreja Evangélica: são aproximadamente 124.941 habitantes sem NENHUM acesso ao Evangelho. E o restante dos habitantes, com pouquíssimo acesso (1 Igreja para cada 22.741 habitantes). Confira no quadro abaixo, e veja os lugares onde NÃO HÁ IGREJA EVANGÉLICA:

Distrito

Concelho

Localidades

Habitantes

Braga

Amares

Ferreiros

2.879

Barcelos

Barcelinhos

1.899

Lijó – Barcelos

2.191

Manhente

1.587

Viatodos

2.027

Vila Seca

1.245

Braga

Cabreiros

1.638

Celeiros Braga

6.000

Gualtar

3.897

Lamaçães

1.364

Palmeira

4.594

Panóias

1.630

Real

4.871

Tadim

886

Cabeceiras de Basto

Arco de Baúlhe

1.808

Celorico de Basto

Celorico de Basto

2.542

Ribas

1.229

Esposende

Esposende

3.471

Fafe

Arões

1.352

Revelhe-Fafe

820

Guimarães

Briteiros

1.248

Caldas das Taipas

5.252

Creixomil

9.393

Fermentões

4.137

Moreira de Cónegos

5.828

Ronfe

4.487

S. Torcato

3.624

Selho S. Jorge

5.114

Póvoa de Lanhoso

Taíde

1.569

Terras de Bouro

Rio Caldo

993

Terras de Bouro

1.800

Vieira do Minho

Vieira do Minho

2.289

Vila Nova de Famalicão

Calendário

10.697

Joane

7.528

Ribeirão

8.298

Vila Verde

Ribeira do Neiva

343

Vila de Prado

4.381

Você se sente desafiado com esta realidade? Precisamos orar, mas, certamente, podemos fazer mais do que isso. Podemos ser missionários em Braga, podemos enviar missionários a Braga (sustentando alguém que esteja disposto a ir) e também podemos e devemos orar por Braga. O que você vai fazer?

Motivos de Oração: 

Que Deus os abençoe! Daniele Marques.