Os Atributos de Deus são Incontestáveis!

12 03 2011

Essa semana recebi um E-mail maravilhoso da minha querida amiga, Vera. Era um Power Point, que apresentava, de uma forma muito prática e lógica, as evidências da Criação, em oposição à “teoria” da evolução.

Postei-o aqui, para você desfrutar, como eu, da alegria de servir ao Deus Criador!

Quando terminei de assistir, pensei: Senhor, Tú és tão Grande, criaste todo o universo e Tú és Meu! Tudo é Teu e Tu és Meu … Meu Deus, Meu Senhor, Meu Paizinho!

“ Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, o qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho. A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor” (Salmo 19.1-6).

“Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas, portanto, o homem é indesculpável” (Rm 1.20).

A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro, e ilumina os olhos. O temor do SENHOR é limpo, e permanece eternamente; os juízos do SENHOR são verdadeiros e justos juntamente.

Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa”  (Salmo 19.7-11).

Baruch Hashem! Daniele Marques

Anúncios




AS PORTAS DE JERUSALÉM

4 03 2011

 

Mexendo em minhas coisas ontem, encontrei esta mensagem. Ahhh, como foi Bom relembrar este tempo!

Eu a preguei em um momento muito especial da minha vida.

No ano de 2008-2009, meu marido e eu, pastoreamos uma Congregação no Bonfim – Petrópolis – RJ (antes de virmos para Portugal); e neste lugar tão simples, tivemos muitas experiências com Deus!

Deus marcou o tempo que estivemos ali, com uma Presença muito forte!

Este foi um lugar de muitos desafios, mas também, um lugar de céu aberto, de favor, de reconstruções e de muita comunhão.

Tenho saudades da minha querida igreja, mas entendo, que estamos vivendo um novo tempo no Senhor, e nutrimos em nosso espírito, uma expectativa do desfrutar de um tempo ainda mais intenso, em Deus. Intenso em Presença, intenso em Milagres, intenso em Revelação e intenso no cumprimento do nosso Propósito.

Essa Palavra foi fruto de uma revelação, através de uma oração determinada de não preparar nada até que o Senhor desse uma direcção clara.

O Tema da Mensagem é: AS PORTAS DE JERUSALÉM, e foi baseada em Ne 3.1-31.

Antes de escutar, tenho uma ressalva a fazer, quando eu falo da Porta da Fonte, cito Isaque e sua persistência em cavar poços para achar águas (na gravação, eu falo “Jacó”, por distração, mas foi Isaque tá? rsrs). Conferir com Gn 26.15-35.

Esta Mensagem foi gravada em um de nossos cultos, com o MP4, então o áudio não está perfeito, mas está bom.

O meu desejo é que, ao ouvi-la, Deus ministre em seu coração, e gere em você uma “incomodação santa”, que o deixe incapaz de permanecer no mesmo lugar! Você precisa avançar!

Você pode ouvi-la, clicando no “player” abaixo:


AS PORTAS DE JERUSALÉM

  • Os motivos que os levaram ao cativeiro: educar e punir (por causa dos pecados cometidos e do afastamento de Deus), primeiro Israel (cativeiro galileu ou assírio), depois Judá (cativeiro babilônico). Ficaram 70 anos no cativeiro.
  • E Deus que é Fiel, lhes permitiu um recomeço, uma nova vida em Deus (“Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida” Sl 138.7). Deus sempre permite recomeços em nossas vidas.
  • Deus fez isso muitas vezes na história, dando ao homem a oportunidade de começar de novo.
  • O texto de Neemias também fala de um recomeço, de uma oportunidade, de uma reconstrução.
  • Neemias diz, no cap. 1 que a situação do povo que estava na terra era de grande miséria e desprezo e propõe no seu coração, ir restaurar os muros de Jerusalém. Deus sempre levanta alguém para nos ajudar a restaurar nossos muros, a começar de novo.

Restaurar os muros na Bíblia é uma figura profética de nossa salvação:

Is 26. 1 NAQUELE dia se entoará este cântico na terra de Judá: Temos uma cidade forte, a que Deus pôs a salvação por muros e antemuros. Muros na Bíblia é sinônimo de proteção. A salvação do Senhor é a proteção que o Senhor construiu para nós com o seu sacrifício na cruz.

RESTAURAR OS MUROS DE JERUSALÉM Significa dar um novo começo à cidade que nasceu para ser a Cidade da Paz, a cidade do temor perfeito a Deus.

Quando o muro de separação é derrubado (o pecado), Deus constrói ao nosso redor, muros de salvação.

E nesse processo de restauração, achei interessante duas coisas:

1. Ne 3.1 – Foi Neemias (Deus consola) o homem que Deus levantou, mas a disposição para iniciar a obra precisou começar do povo. Deus deseja nos restaurar e continua enviando pessoas para serem canais Dele para nós, mas nós somos os maiores interessados (precisamos corresponder com Ele nesse processo de reconstrução).

2. Eles começaram a reconstrução dos muros pelas PORTAS ou a maior parte da reconstrução limitou-se às portas, onde havia uma concentração maior dos ataques dos inimigos.

O que são portas?

  • Locais de acesso; passagens; locais de guerra de combate; locais que precisavam ser guardados.
  • Porta é um lugar onde só os convidados e autorizados podem passar.
  • Etapas, fases, até o caminho proposto.
  • Um lugar em Deus.

Parece que o inimigo tem um plano específico para destruir lugares especificamente escolhidos (ler 2 Rs 25.9,10):

1. Templo (adoração)

2. Palácio  (realeza, prosperidade)

3. Casas (família)

4. Edifícios importantes (ler Lm 1.7). Lugares construídos para determinados fins. Ministérios, planos, sonhos.

2 Rs 25.10 (quando o inimigo entrou, ele derrubou os muros:salvação) e no v. 11: levou o povo cativo (a escravidão é o resultado da falta de proteção: pois se estivermos com o Senhor, quem nos arrebatará das mãos Dele?).

Existem lugares em sua vida que precisam ser muito bem guardados. Lugares onde só Deus deve ter acesso para entrar. Só Deus deve interagir com você. Portas que só Deus deve ter a autorização para abrir. Esses lugares precisam ser muito bem guardados e protegidos (com ferrolhos e trancas). A repetição do termo aponta para algo urgente e muito importante.

Há um lugar em Deus, onde Ele deseja te levar. Você tem que chegar lá, precisa passar por portas (fases). São fases, que só se abrem, uma após as outras. Não tem como tomar atalhos.

Vemos 10 portas nesse texto. São 10 lugares por onde Deus deseja nos conduzir na caminhada cristã. São 10 portas que precisam ser construídas em nós para que alcancemos à maturidade, o temor completo, a paz. São portas que nos levam ao centro da vontade de Deus.

Ao falarmos sobre esses lugares em Deus, sobre essas portas, fases, você deverá identificar o lugar onde você está e o lugar onde você deseja estar.

1. PORTA DAS OVELHAS (Neemias 3:1)

“Então, se dispôs Eliasibe, o sumo sacerdote, com os sacerdotes, seus irmãos, e reedificaram a PORTA DAS OVELHAS; consagraram-na, assentaram-lhe as portas e continuaram a reconstrução até à Torre dos Cem e à torre de Hananel.”

 

1º Essa foi a primeira porta.

2º Essa porta foi consagrada, separada (Pedro nos chama de nação escolhida e propriedade santa e particular do Senhor)

3º Jesus em João 10.7 e 9, disse: “Eu sou a Porta das ovelhas. (…) Se alguém entrar por mim será salvo; entrará, sairá e achará pastagens”

Essa porta fala do nosso primeiro estágio em Deus: quando fizemos a decisão de ouvir a Voz do Bom Pastor (Jesus) e escolher entrar por Ele; (Ele é o Caminho (a Porta), a Verdade e a Vida; não tem como chegar ao Pai, ao centro da vontade do Pai, se não passarmos por Ele). A torre dos cem “início da caminhada cristã”.

4º Essa porta era a porta das ovelhas

Esta porta, fala sobre “ser ovelha” isto é, como em João 10:14, ovelhas que conhecem o seu pastor, e são conduzidas por Ele. Essa porta fala sobre um lugar em Deus; que é o lugar da obediência, da submissão, onde entendemos que somos propriedade escolhida de Deus e não vivemos mais para fazer a nossa própria vontade, mas a vontade de quem nos comprou.

2. PORTA DOS PEIXES (Neemias 3:3)

“Os filhos de Hassenaá edificaram a PORTA DO PEIXE; colocaram-lhe as vigas e lhe assentaram as portas com seus ferrolhos e trancas”

Peixe fala sobre alimento (Lc 9.13 “Mas ele (Jesus) lhes disse: Dai-lhes vós de comer. E eles disseram: Não temos senão cinco pães e dois peixe, salvo se nós próprios formos comprar comida para todo este povo.

 

O segundo lugar em Deus é o lugar onde nos alimentamos da comida que Deus nos dá. A melhor comida para nós não é a que queremos, mas a que Deus nos dá (deserto: queriam outra comida) e Deus queria alimenta-los com o pão dos céus!

 

Mas nesse lugar em Deus, também distribuímos o alimento que recebemos... Peixe fala sobre o compartilhar do alimento: o estágio da multiplicação do alimento (evangelismo). Jesus disse à Pedro, Tiago e João: “Eu vos farei pescadores de homens”. Esse é o lugar da multiplicação, da frutificação, do trabalho no Senhor.

Deus não dá pão para estragar. Não adianta pedir a Deus para que Ele te dê mais conhecimento, se você não compartilha com ninguém o que você tem recebido. É um processo. Quando mais você dá, mais tem. “Aquele que tem será dado”.

Muitos podem ser usados por Deus nessa fase, embora não sejam completamente transformados (como os discípulos foram usados para realizar o milagre, mas não entenderam quem era o Verdadeiro Pão).

 

3. PORTA Jesana ou porta VELHA (Neemias 3:6)

“Joiada, filho de Paséia e Mesulão, filho de Besodias, repararam a PORTA VELHA; colocaram-lhe as vigas e lhe assentaram as portas com seus ferrolhos e trancas”

 

Um detalhe aqui: alguns nobres não se sujeitaram ao serviço do seu senhor, então não puderam construir essa porta.
Se não passar pelas portas anteriores, não tem como construir essa aqui.

O nome dessa porta não é atrativo: porta-velha. Essa porta talvez não se adequasse à nobreza, por isso não quiseram construí-la.

Nesse lugar em Deus, temos que mexer nas coisas velhas. Tudo o que é velho precisa ser trazido a tona e ser passado por uma transformação. Esse é o lugar em Deus, onde somos verdadeiramente transformados, lapidados; onde somos espremidos e passados pelo fogo, até exalarmos um cheiro agradável.

Nesse lugar, trabalharam os ourives. Por isso nesse lugar, tem a torre dos fornos. O processo de transformação do ouro em jóia é passando pelo fogo.

Nesse lugar, trabalharam os perfumistas. Os que faziam perfumes, fragrâncias. Quando Deus nos transforma, passamos a exalar seu bom perfume.

Nesse lugar também trabalharam as mulheres; que são as que trazem o adorno, a decoração e a beleza. Você vai ficar muito bonito e perfumado quando sair desse lugar! A jóia bruta vai brilhar!

4. PORTA DO VALE (Neemias 3:13)

“A PORTA DO VALE, reparou-a Hanum e os moradores de Zanoa; edificaram-na e lhe assentaram as portas com seus ferrolhos e trancas e ainda mil côvados da muralha, até à porta do Monturo

Essa porta representa um lugar em Deus onde somos provados. Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti. Esse é um lugar em Deus por onde temos que passar. Jesus disse: nesse mundo tereis aflições.

Um vale é um acidente geográfico cujo tamanho pode variar de uns poucos quilômetros quadrados a centenas ou mesmo milhares de quilômetros quadrados de área. O tempo que ficaremos no vale é determinado pelo Senhor e pelo que Ele quer nos ensinar. É tipicamente uma área de baixa altitude cercada por áreas mais altas, como montanhas ou colinas.

Os vales são formados por diversos processos geográficos. É o processo de Deus em nós!. Esse é o lugar do confronto, onde revelamos se amamos a Deus ou se negamos a Deus (Hc 3.17-19).

Onde Deus desenvolve a nossa fé. Ler DT 8.2-4.

 

5. PORTA DO MONTURO (Neemias 3:14)

“A PORTA DO MONTURO, reparou-a Malquias, filho de Recabe, maioral do distrito de Bete-Haquerém; ele a edificou e lhe assentou as portas com seus ferrolhos e trancas”

Monturo significa lixo. Portanto, esta porta fala sobre jogar fora o lixo espiritual, que nos atrapalham e nos impedem de correr-mos a carreira que nos foi proposta (Hb 12:1). É a porta por onde sai o lixo.

É o lugar em Deus onde vivemos em arrependimento.

Onde a confissão e a mudança diária passa a fazer parte de nossa rotina diária. Assim como o lixo é jogado fora todo dia.

O tempo no vale nos ensinou a jogarmos o nosso orgulho fora nosso coração ficou quebrantado!

É o lugar onde praticamos o perdão, a confissão, a mudança de mente e o arrependimento. Onde não conseguimos mais viver pecando.

6. PORTA DA FONTE (Neemias 3:15)

“A PORTA DA FONTE, reparou-a Salum, filho de Col-Nozé, maioral do distrito de Mispa; ele a edificou, e a cobriu, e lhe assentou as portas com seus ferrolhos e trancas, e ainda o muro do açude de Selá, junto ao jardim do rei, até aos degraus que descem da cidade de Davi”

Esse lugar em Deus é o lugar da revelação (Sl 25.14).

O primeiro passo é acharmos a fonte; o que não é fácil. Mas quando achamos, ela não para de jorrar.

Isaque cavou vários poços e teve seus poços entulhados (quantas vezes isso aconteceu conosco quando tentamos prosseguir); mas teve uma hora que ele achou uma fonte que jorrou por mais de 2.000 anos depois. Ele bebeu, seus filhos beberam e Jesus bebeu dessas águas. Irmão, é difícil de achar, mas depois que achamos, nossa vida nunca mais é a mesma.

Nesse lugar trabalharam sacerdotes, levitas (adoração), sumo sacerdotes, e Neemias.

Por esse lugar, passaram muitos. Nesse lugar ficava o cemitério de muitos heróis, o jardim do rei e o sepulcro dos reis. Muitos morreram nessa fase. Nessa fase, Deus vem e pronto! Essa é a fase do relacionamento com Deus. Contínuo, diário, onde a água não pára de jorrar. Irmãos, não dá para tapar uma fonte quando ela tem força para jorrar, quando ela tem profundidade.

É bom estarmos nessa fase em todas as áreas de nossas vidas: vida pessoal, ministério, casamento.

Nesse lugar estava a casa das armas. É o lugar das vitórias, onde o inimigo é massacrado enquanto adoramos, enquanto dormimos.

Nesse lugar ficava o pátio do cárcere. Por que aqui?

Quando se anda na revelação, nosso comprometimento com Deus é tão grande que nos dispomos a tudo (como Ester: se morrer, morri). Nos dispomos a sofrer tudo, a sermos presos, a sofremos injustiças.

Paulo foi preso muitas vezes, mas nesse fase, as cadeias não impediam mais a revelação de Deus de fluir sobre ele, nem o seu louvor. Nessa fase, nem as prisões impedem Deus de se manifestar em nós.

Paulo, onde era colocado, ganhava gente para Jesus e continuava fluindo graça sobre ele e ele continuava escrevendo coisas do céu! Quando foi apedrejado em Listra, ganhou Timóteo, em Filipos, o carcereiro e a Família, na prisão domiciliar, todos os soldados se converteram e quase que o rei agripa se converte também.

Irmãos, não dá para parar quem vive na fase da revelação. Ele frutifica em qualquer lugar (Jr 17).

Davi também adorava em todo tempo, e fazia músicas e salmos em meio às perseguições.

Nesse lugar, você entende o que Deus quer e tem para você e seu ministério, casamento, etc.

Aqui, discernimos não só para o que fomos chamados (JB: Eu sou a voz), mas também passamos a discernir a VOZ do Senhor!

Mas não só isso: você entende quem Deus é e quem você é no Senhor. Relacionamento traz conhecimento.

Por isso não se importa mais com as críticas!

7. PORTA DAS ÁGUAS (Neemias 3:26)

“e os servos do templo que habitavam em Ofel, até defronte da PORTA DAS ÁGUAS, para o oriente, e até à torre alta”

Em João 7: 37-38, Jesus disse que “quem crer em mim, do seu interior fluirão rios de águas vivas”. E Jesus falou isso, referindo-se ao Espírito Santo.

João 4: essa é a água que Jesus dá, que não nos deixa mais ter sede.

Depois da revelação, vem o fluir no Espírito Santo.

Milagres legítimos e maravilhas começam a acontecer!

Nessa fase, não precisa pedir a Presença de Deus, Ele está e pronto!

Aqui tinha uma torre alta (profundidade do relacionamento com o Espírito Santo; aqui não dá mais para fazer outra coisa a não ser mergulhar). Pois as águas são profundas demais (Ez 47).

É a fase do direcionamento (Sl 36.9).

8. PORTA DOS CAVALOS (Neemias 3:28)

“Para cima da PORTA DOS CAVALOS, repararam os sacerdotes, cada um defronte da sua casa”

Os cavalos falam de força (Sl 20.7).

A alegria do Senhor é a nossa força.

Devemos aprender dar a Ele a nossa força. Isso alegra o coração de Deus.

 

9. PORTA ORIENTAL (Neemias 3:29)

“Depois deles, reparou Zadoque, filho de Imer defronte de sua casa; e depois dele, Samaías, filho de Sacanias, guarda da PORTA ORIENTAL”

Porta também chamada de “Haesith” no hebraico, que significa humilhação, humildade (Jr 18).

É exatamente aqui que começa a honra. A humildade precede a honra, pois a soberba ficou pra trás, nas fases anteriores.

Fase de prosperidade, de deleitar-se no Senhor.

Os servos do templo, ourives e mercadores trabalharam aqui.

 

10. PORTA DA GUARDA (Neemias 3:31)

“Depois dele, reparou Malquias, filho de um ourives, até à casa dos servos do templo e dos mercadores, defronte da PORTA DA GUARDA, até ao eirado da esquina”

Também fase de honra e riquezas (ourives e mercadores)

Mas uma fase de vigilância para não perdemos o que conquistamos.

Fase da perseverança para permanecermos nesse lugar em Deus até o fim.

Após terminar de ouvir, já identificou em que fase você está?

Já sabe onde você quer chegar?

Então, tire um momento com Deus agora, para orar, relacionado a isso.

Deixe o Senhor conduzi-lo até o centro de Sua Vontade!

Que Deus te abençoe grandemente! Baruch Hashem!

Daniele Marques





VOCÊ TEM UM DESTINO PROFÉTICO!!!

18 02 2011

Você pode ler ou ouvir esta mensagem em Mp3, ou pode fazer as duas coisas.  Meu desejo é que Deus abençoe profundamente sua vida e que você seja tocado por esta Palavra!

Click para ouvir:

A história de Jacó, a forma como ele se relacionava com Deus, como ele cresceu nesse relacionamento e também os processos a que Jacó foi submetido até encontrar-se com Deus e com seu Destino Profético, foi o tema de minhas meditações, nestes dias.

Jacó viveu experiências marcantes ao longo de sua vida! Ele passou muitos anos sendo forjado no seu caráter.

Assim como nós, Jacó aprendia cada dia um pouco mais com Deus. Constantemente, ele era submetido a muitos processos. Deve ter sido muito difícil viver tudo o que ele viveu. Ele passou por muitas situações complicadas e desgastantes, perdas e decepções, mas a Bíblia mostra como dia-após-dia, Jacó ia crescendo em paciência, perseverança, confiança, coragem, perdão, favor e determinação. A Bíblia não mostra Jacó como um caçador (parecido com seu irmão Esaú), nem como um homem guerra. Suas batalhas eram interiores e certamente, essas, estavam sendo vencidas!

Houve momentos que, por ansiedade, esperteza ou até mesmo por simples questão de obediência à sua mãe, ele tentou forçar seu momento e seu destino profético. Mas Deus, ainda durante alguns anos, iria trabalhar na vida dele e ao longo desses anos, Deus lhe ensinou-lhe inúmeras coisas. Jacó aprendeu a confiar, servir e esperar. E Deus acrescentou-lhe muito, enquanto ele servia. Deus deu-lhe filhos e bens. Talvez algumas pessoas achem, que o ápice do ministério é adquirir dinheiro e fama em abundância. Jacó conquistou tudo isso, mas ainda lhe faltava algo que definitivamente, mudaria sua vida e o levaria ao seu Destino Profético. Ele já tinha visto anjos, erigido altares para Deus, mas não conhecia ainda o que Deus tinha reservado para ele.

O homem vive uma vida comum até que saiba o “pra quê” Deus o colocou neste mundo. Depois de sabê-lo, é impossível sermos a mesma pessoa! E Jacó também teve um “até que” em sua vida. Nossa vida precisa ter um “até que”. Se você ainda não teve, você precisa começar nutrir esta expectativa! Você não foi criado apenas para receber coisas. Existe algo mais para você; você só precisa descobrir! Esse “até que” é o que dá destino à sua vida, é o que define o seu propósito!

Jacó foi um homem comum “até que” chegou ao Vau de Jaboque e passou por ele. E se eu pudesse dividir a vida de Jacó em duas partes, eu a dividiria em “antes e depois do Vau de Jaboque!

A experiência de Jacó no Vau de Jaboque foi tão marcante, que deslocou a juntura de sua coxa. Jacó não foi transformado no seu caráter ali, como eu sempre achei, que tivesse sido esse, o momento de sua transformação. Ali ele foi marcado, não transformado! Ninguém é transformado instantâneamente. Eu não sei o que nos leva a pensar, que seria diferente com Jacó! Ele foi sendo transformado ao longo de sua vida e de suas experiências. Jacó foi dando passos em direção a essa transformação… “até que” no Vau de Jaboque, ele encontrou-se definitivamente com seu Destino Profético! O que significa isto? Significa que Deus havia predestinado Jacó para uma função específica em sua geração, e Jacó havia acabado de descobrir isso!

Deus perguntou a Jacó qual era o seu nome, ou seja, quem ele achava que era. E ele disse: “Jacó”. Parece que quase consigo ouvir Deus falando com ele: Não! Teu nome não é esse! Teu destino não é esse! Israel é o teu destino profético: Já não te chamarás mais Jacó, e, sim, Israel” (Gn 32.28a). O nome Jacó significa “enganador, usurpador” e Israel significa: “aquele que prevalece na luta, que persevera como um príncipe”. Ainda pode significar “soldado de Deus”, ou ainda “aquele que governa, que reina com Deus”.  A vitória em suas pequenas batalhas definiu seu nome!

Esta semana li uma frase do Pr. JB de Carvalho (via twitter), que tem tudo a ver com o que aconteceu a Jacó. Ele disse: “Não é o seu nome que dá significado a você, mas é você quem dá significado ao seu nome” (Pr. JB). Pensando desta forma, Deus estava dizendo para Jacó: eu gerei tantas coisas dentro de você e você foi tão transformado ao longo de todos esses anos, que o nome que agora você usa, perdeu a finalidade, pois não tem mais nada a ver com o que você se tornou e com os Meus Planos para você, “teu nome agora é Israel”! Ao olhar para Israel, Deus via nações dentro dele! A vida de Israel agora iria marcar a sua descendência, a sua geração e as posteriores! Reis procederiam dele!

Chega um momento, queridos, em que Deus nos mostra quem somos e não podemos ficar parados diante de tão grande revelação! Quando Deus nos mostra quem somos, Ele espera de nós uma resposta, Ele espera uma reação, espera que correspondamos à relevelação! E toda revelação envolve uma ação! Deus não te diz algo acerca do teu Destino, para você colecionar revelações e colocá-las em um livro. Deus espera que você faça algo a respeito, Ele quer te ver dando passos em direção aos planos Dele para você!

Em algum momento da nossa vida, nós realmente descobrimos quem somos.

Em algum momento da nossa vida, Deus nos mostra um desenho do nosso futuro.

Em algum momento da nossa vida, há uma revelação em nosso espírito, o que é mais do que uma impressão, mas uma convicção Divina do nosso Destino Profético. Não dá para fugir de quem somos! Quando realmente descobrimos o que viemos fazer aqui, um grande alvo se levanta à nossa frente, e não conseguimos mais olhar em outra direção, e começamos a sentir uma incomodação, e é isso que nos impulsiona a perseguir o nosso propósito.

João Batista sabia exactamente quem ele era e o que tinha vindo fazer. Quando perguntaram a ele: “Quem és tu? És tu Elias? És tu o profeta?” Ele disse com toda convicção: “Não sou” e ainda disse “Não sou o Cristo”. E insistiam com ele, dizendo: “Declara-nos quem és” . Então João Bastista respondeu, mostrando que ele tinha a revelação do seu Destino Profético; mostrando que ele conhecia exactamente qual era o seu lugar na história de sua geração. Ele disse: “Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías” . E João fez exatamente o que Deus havia proposto para ele, nem mais, nem menos (Jo 1.19-23). Isso é demais!

Jesus também tinha tanta convicção de quem Ele era, que ao chegar na sinagoga, leu um trecho de Isaías 61.1,2a, referindo ao seu Destino Profético: O Espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do SENHOR” (Lc 4.18,19). Jesus estava a dizer: Eu sei quem Eu Sou. Eu vejo o que outros homens não podem ver, porque a vestidura de Deus está sobre mim. O Espírito de Deus está sobre mim!  Eu sinto o que outros homens não sentem. Eu tenho uma paixão que outros não tem.

Quando o Espírito de Deus está em nós, nós ficamos diferentes dos outros homens. Então sempre vai haver uma distinção entre eu e as outras pessoas. O meu Destino Profético me distingue dos outros. Nós temos uma paixão que outros não tem e essa paixão envolve quem somos e o que fomos chamados para fazer. Quando o Espírito de Deus controla a nossa vida, há um poder que está ao nosso redor. E não sabemos como, mas sabemos que de alguma forma, vamos cumprir o que Deus tem para nós!

Em algum momento de sua vida, Deus vai te dar a foto do teu amanhã. E essa foto talvez seja bem diferente do dia de hoje.

Talvez você esteja preso como José e na prisão, Deus te dá o retrato de você dentro do palácio!

Talvez você se sinta como Jeremias, como uma criança, mas Deus vê o teu futuro como um profeta!

Talvez você nunca tenha saído da sua cidade ou do seu país, mas Deus te vê pregando nas nações!

Todo ataque satânico é para fazer você duvidar do que Deus já te deu; do que está no teu espírito.

Comece a olhar o retrato que o Espírito Santo colocou aí. E não negocie o teu futuro! Ignore as distrações ao teu ministério: os que estão próximos a vc vão tentar te distrair. Ignore as substituições à tua missão: o inferno pagará qualquer preço pela tua chamada, pela tua missão, pelo teu futuro. A chave do teu sucesso está determinada pelo que você decide abandonar.

Você tem um destino profético! Você vê algo que os outros não vêem. Você tem algo que os outros não têm. Deus te deu algo para a tua geração. Deus colocou em você, algo para tocar a tua geração, neste momento e neste tempo.

Quero te encorajar a buscar isto!

Quero te convidar a uma busca incessante em oração. A buscar Deus sem cessar até que Deus te revele o teu Destino Profético.

Você foi desenhado e chamado para algo poderoso nesta geração!

Existe poder de Deus disponível para você fluir no teu Destino Profético.

Deus quer te dar uma chave para desatar isto e esta chave chama-se oração.

Mas não uma oração qualquer, mas uma oração que brota do desespero; uma oração que define a tua preservação nesta terra; uma oração que decide o teu futuro; uma oração que te destrava, que desata a tua vida. A revelação do Destino Profético de Jacó teve a ver com a sua postura na oração. Veja o texto:

a)       “Ficando ele só” (Gn 32.24). Ele precisou ter um tempo a sós com Deus. Jesus nos aconselhou buscar esse lugar secreto ao explicar sobre a oração (Mt 6.6). Lugar secreto é lugar de gerar milagres! É lugar de revelação de Destinos Proféticos!

b)       Jacó lutou com Deus (em oração) e prevaleceu. Embora ele tenha sido tocado de forma física, o que nos leva a pensar que houve uma batalha real, corpo-a-corpo; o profeta Oséias diz no cap. 12.3,4, que esta luta tratou-se de uma intensa batalha de oração. Oséias diz que Jacó lutou com Deus, chorou e lhe pediu mercê. Diz que ele lutou até “achar Deus”! A perseverança, que foi marca registrada em sua vida, agora é exposta em sua vida de oração. Jacó perseverou até encontrar Deus. Devemos perseverar também até encontrá-lO. Quando encontramos Deus, ele nos diz quem somos e o que fomos chamados para fazer!

c)       Jacó lutou até o romper do dia – essa luta (em oração) deve durar até quando? Esta é a sua pergunta neste momento? Até romper o dia sobre a tua vida, até vir a revelação; até vir a clareza! (Jr 33.3). Até suas articulações serem tocadas. Jacó disse a Deus no meio da sua luta (em oração) : “Não te deixarei ir se não me abençoares (Gn 32.26)”. Ou seja, se não liberar sobre mim o poder para prosperar no meu propósito!

Enquanto você não descobrir o teu Destino Profético, você ficará desanimado, se sentirá frustrado; mas quando você se encontrar com o que Deus tem para você, você não desanimará, até que veja cumprido o teu propósito! Sua vida encontrará sentido e direção! E você derramará o que está dentro de você sobre as pessoas! O Espírito do Senhor está sobre você, Deus te ungiu para algo! Você tem um Destino Profético que vai tocar sua geração, que vai tocar uma nação, que vai mudar histórias! Baruch Hashem! Daniele Marques.





Senhor Cara Legal …

9 02 2011

Amei este vídeo e postei-o aqui para registrar minha apreciação!

Assistam!





Cada Pessoa tem um Propósito, cada Propósito tem uma Autoridade e cada Autoridade, a sua Própria Prosperidade

4 02 2011

A partir deste Post, além de ler, você também poderá escutar a Mensagem de todos os Posts em Mp3.  Que Deus possa abençoar sua vida através desta Palavra!

Click para ouvir:


Deus tem falado muito comigo sobre propósito. Mas o que é propósito? Eu defino propósito como o que nascemos para fazer; o que fomos chamados para fazer; propósito é finalidade; é objetivo. Não é apenas visão de onde eu quero chegar, mas é o fundamento da visão. E ainda: é o resultado do que eu sou. Propósito não tem só relação com as coisas que eu faço , mas com o quem eu sou. Eu preciso corresponder ao que eu fui desenhada para ser. Isto é propósito. Alcançar nosso propósito significa estabelecer uma relação de correspondência exata com o que Deus nos desenhou para ser e fazer.

Ex: Quando Deus criou os luminares, deu propósitos para eles. Eles foram desenhados para sinais, estações, dias, anos, para iluminar a terra, o sol para governar o dia e a lua para governar a noite. Talvez se uma criança nos perguntasse: Por que o sol brilha? Nós responderíamos: Porque ele é sol. A iluminação tem a ver com quem ele é, com a sua finalidade, com o seu propósito. Um sol que não ilumina, adiantaria de alguma coisa? O sol precisa ficar exatamente no lugar que está, fazendo o que está fazendo, para que permaneçamos vivos na terra. Se ele sair do seu lugar e se aproximar demais, morremos; se ele se afastar demais, morremos. Precisamos que ele continue funcionando exactamente de acordo com o seu propósito.

Deus deu um propósitos coletivos à sua criação: aos peixes, às árvores, aos animais, aos céus, à terra, aos anjos, ao homem, a Israel, à Igreja. Mas também deu-lhes propósitos específicos,  individuais.  Deu a cada árvore, propósitos específicos: produzir maçãs; à outras peras ou bananas. E ainda mais específicos: banana-maçã, banana dágua, etc. A cada um, pois, Deus deu propósitos, gerais e específicos.

Cada pessoa tem o seu propósito

O que eu fui chamada para fazer tem relação com o meu propósito e é diferente do que você foi chamado para fazer. O que eu nasci para fazer, não é o que você nasceu para fazer. Os pés tem um propósito, a boca tem outro, as mãos, os rins, o coração, cada um tem uma finalidade específica e geral, dentro do corpo. Quando cada um cumpre o seu papel específico, o propósito geral também se concretiza. Dependemos uns dos outros, somos um corpo.

Não queira fazer o que Deus não te chamou para fazer. Não deixe o seu lugar vazio, e vá fazer outra coisa. Você é extremamente necessário e potencialmente capacitado, quando está no lugar certo. Imagine se o coração resolvesse sair do seu lugar para exercer uma outra função? Haveria um caos generalizado e morte certa. Um olho implantado em qualquer outro lugar do corpo, perderia a sua finalidade e seria nada mais, nada menos do que um enfeite; mas quando ele está no lugar certo: ele fornece visão! Eu sei que você não quer ser um mero enfeite! E você não é: você tem o seu lugar no corpo! Rins são frágeis demais para ficarem expostos, mas no lugar certo, purificam o corpo de impurezas. Os órgãos que não estão expostos tem tanto valor quanto os que estão. Você não pode escolher o que quer ser! Não deixe ninguém fazer você pensar que pode! Deus te desenhou para exercer uma função em um lugar específico no corpo! Veja o comentário de Paulo aos Coríntios (1 Co 12.4-31).

Quer saber qual é o seu lugar? É onde flui sua autoridade.

Cada Propósito tem a sua Autoridade

Autoridade vem da raiz (autor, criador, fabricante, quem faz, original, fonte). Autoridade é o princípio para a função correta. É o que garante o máximo de desempenho no ministério. A raiz desta palavra vem do grego “autos”: ser automático,  ser natural, ser autêntico. A palavra autêntico significa: “Autos”: trabalhar; “hentes”: sair, pôr para fora. É colocar o trabalho que está dentro, para fora, naturalmente. Sair. É revelarmos quem somos de verdade. É colocar para fora quem somos. É sermos exactamente o que o Criador nos fez para sermos. TER AUTORIDADE é estar autorizado pelo Criador para o exercício ou desempenho de alguma função.

TER AUTORIDADE é fluir no que Deus colocou dentro de nós! Você não tem que fluir em tudo, você só precisa fluir no teu propósito e cada propósito tem a sua própria autoridade.

Certa vez, uma mulher que há 12 anos sofria de uma hemorragia tocou em Jesus no meio da multidão (Lc 8.43-46). Jesus disse: alguém me tocou. Perguntaram-lhe como Ele sentiu este toque específico, pois havia uma multidão apertando-o. Jesus respondeu: “porque saiu poder de mim”. Saiu poder dele, virtude, potencial! Aleluia! Curar e salvar fazia parte do seu propósito. Quando Jesus estava no exercício de seu propósito, Ele sentia sair poder dele!

Em que área flui poder de você? É aí que está a tua autoridade! Onde e fazendo o quê, você sente sair virtude de você? O que você e em que área você sente que seu potencial é liberado?

Na oração? Na pregação? Na contribuição? No ensino? Na profecia? No pastoreamento? No evangelismo? No encorajamento? Na cura? Na Libertação? Nas estratégias e planejamento? Na administração? No serviço? Na ajuda aos necessitados? Nos abraços? Escrevendo? Na música? Na dança? Com gestos? Ouvindo? Aconselhando? Cozinhando? Cuidando de crianças? Nos equipamentos de som? Na informática?  O que mexe realmente com vc? Em que área, vc sente fluir poder de vc? É aí que está a tua autoridade e o teu propósito.

Muito Bem! Você sabe o seu propósito, identificou o lugar de sua autoridade, mas não sabe o que fazer e nem por onde começar? Apenas faça!

Pois cada Autoridade tem a sua própria prosperidade

Todos os recursos que você precisa para desempenhar o que Deus te chamou para fazer, já estão dentro de você. Quando Deus criou as árvores, Ele liberou sobre elas, uma semente para fazê-las prosperar em seu propósito. Aquela primeira semente liberada continua produzindo árvores até hoje. Deus não fica todos os dias lançando sementes. Ele já fez isso!

Em tudo o que criou, Deus colocou sementes, colocou poder, colocou recursos, colocou provisão. Quando Deus criou o homem, o autor de Gênesis (Moisés), friza um detalhe interessante: (Gn 1.28) “E Deus os abençoou: e lhes disse: sede fecundos, multiplicai, enchei a terra e sujeitai-a, dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”.

Qual é o detalhe? Essa palavra “abençoou” significa: liberou poder para fazer prosperar! Aleluia! Tudo o que Deus te chamou para fazer, Ele já te deu. Sua prosperidade está relacionada diretamente com sua autoridade e sua autoridade com o seu propósito! Ou seja: você tem poder disponível para fluir liberalmente dentro do que foi chamado para fazer! Quanto mais você cumpre o seu propósito, mais recursos recebe e mais poder libera! Deus já fez a parte dele! Já nos abençoou com toda sorte de recursos que precisamos para o desempenho de nossa missão.

Você não nasceu com uma missão pequena! Você nasceu para ser exatamente o que Deus te desenhou para ser. Nasceu para corresponder ao seu propósito! Você nasceu com um objetivo, para fluir em  alguma área!  Existe um lugar para você no Reino; um lugar de prosperidade, de potencial liberado, onde tem uma fonte agora mesmo, fluindo poder!  Você não é melhor do que ninguém, e nem pior do que ninguém. Não é mais rico e nem mais pobre. Não tem mais e nem menos. Deus deixou disponível para você, exatamente o que você necessita para cumprir, com excelência e transbordamento, o teu propósito.

Ninguém vai fazer o que você foi chamado para fazer! Existem propósitos semelhantes ao teu, mas o teu propósito é único, assim como tua identidade é única, assim como teu DNA é único. Dentro de você tem potencial para produzir algo único, original! Autêntico!

O diabo não está muito interessado nas coisas que você faz simplesmente por fazer e até com boas intenções; mas se o que você faz corresponde ao que foi chamado para fazer. Se você estiver no lugar certo, ele vai querer te parar para que você não cumpra o teu propósito. Ele vai  tentar colocar muitas distrações no teu caminho. São estratégias do diabo para te tirar do foco. O diabo pode te fazer sentir muito útil, pode usar pessoas para te dar muito trabalho, de forma que você desempenhe muitas funções. E você vai ficar cansado, atarefado e não vai ter tempo de pensar mais em nada. As pessoas vão te elogiar,  e vão dizer a você que você é um bom servo. Sua agenda pode estar bem lotada; mas a minha pergunta é: O que você está fazendo é o que Deus te chamou para fazer? Deus te chamou pra quê? Qual é o teu propósito específico? Deus certamente não te chamou para fazer tudo! Você não tem todos os dons e nem todos os ministérios! Deus não vai te cobrar o que Ele não te mandou fazer! Mas certamente, vai pedir contas do que Ele te deu! (Mt 25.14-30).

Deus também não está muito interessado nas coisas que você faz simplesmente por fazer e até com boas intenções; mas se o que você faz corresponde ao que foi chamado para fazer. Deus quer te fazer prosperar no teu propósito! Se for preciso, Ele vai tirar todas as tuas tarefas, e até “teu ministério”. Se você não estiver no lugar certo, fazendo a coisa certa, Ele vai te parar. E não pense que é o diabo te tirando o que você tem. Nesta hora, você precisa olhar pra Deus e parar para ouvi-lO. Sentar aos seus pés como Maria e ouvir: Maria, uma coisa só é importante, escolha a Boa parte, que não te será tirada! É possível você estar fazendo muitas coisas ao mesmo tempo e ser infrutífero. Mas é impossível fazer o que foi chamado para fazer e não ser próspero. Você precisa deixar Deus te conduzir este lugar de prosperidade.

O apóstolo Paulo diz algumas frases que sempre gosto de repetir. Vou fazer delas, conselhos, para que você encontre este lugar

1. Paulo disse: “Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes ao ar” e ainda: “Correi de tal maneira que o alcanceis”. Se você quer chegar a algum lugar, não tome vários caminhos. Descubra qual é o teu lugar e o teu propósito e não saia daí! (1 Co 9.24, 26).

2. Deixe tudo do teu passado, que não edifica, para trás. Paulo disse: “Pois eu vou me esquecendo das coisas que para trás ficam”. Não dá pra entrar em um tempo novo, carregando o passado nas costas. Leve somente o que é útil. Mágoas, amarguras e sentimentos parecidos, não te ajudarão a cumprir teu propósito. Deixe isto pra trás! (Fp 3.13; 2.5).

3. Continue avançando. Não pare! Paulo disse: “avanço para as coisas que estão adiante de mim” e “Prossigo para o Alvo” … “para alcançar aquilo pelo qual fui alcançado!” (Fp 3.12-14).

4. O que Deus começou em você  ainda não acabou! Deus é Fiel e vai completar a obra que começou! ( Fp 1.6).

5. E Viva para cumprir o teu propósito até que digas: “combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé” (2 Tm 4.7).

Faça a tua parte, e o resto, deixe com Deus! Os problemas são Dele, mas as soluções também são Dele!

E prepare-se: para fluir naquilo que Deus te chamou. É um novo tempo! Alinhe-se! Seja próspero!

Baruch Hashem! Daniele Marques.





Na Contramão do Sistema!

27 01 2011

“Viu o Senhor que a maldade do homem havia se multiplicado na terra, e que era continuamente mau todo o desígno do seu coração” (Gn 6.5). “A terra estava corrompida à vista de Deus, e cheia de violência (…) todo ser humano havia corrompido o seu caminho na terra (…) a terra está cheia da violência dos homens” (Gn 11-13)

Dentre este comportamento generalizado, vemos um relato interessante:

“Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus” (Gn 6.8)

Noé foi um homem justo no meio de uma geração corrompida.
Foi alguém que andou na contramão do sistema, cuja obediência, salvou sua vida e sua família.
Sua obediência parecia loucura para sua geração.
Sua missão parecia loucura para sua geração. Construir uma arca, pra quê, se nunca tinha chovido?

Enquanto os corações se corrompiam e a maldade multiplicava, Noé achava graça aos olhos do Senhor. Essa palavra “graça” no original hebraico é “chen” e significa: “encurvar-se, abaixar-se”. Isso significa, que Noé mantinha uma vida prostrada diante de Deus. Noé andava com Deus. E andava com Deus em uma época em que todos andavam sem Deus!

Sabe qual a questão aqui?
Noé era a minoria. Já na sua época e também em nosso mundo, há um conceito de que as massas “sempre tem a razão”. Tem um ditado muito errado por aí que diz: “a voz do povo é a voz de Deus”. A história  e a Bíblia nos provam que esta frase é completamente equivocada. Talvez o objectivo desta frase nem tenha sido afirmar que o povo tem a voz de Deus; mas que a maioria sempre tem a razão. E isto é um erro! A história de Noé nos mostra, que somente ele e sua família foram preservados do juízo de Deus, por serem obedientes e justos.

“Se Deus não poupou ao mundo antigo, embora preservasse a Noé, pregador da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios” (2Pe 2.5).

“Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava, nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas, isto é, oito almas se salvaram através da água”( 1Pe 3.20)

Noé fazia parte da minoria que obedecia, que permanecia fiel ao Senhor, fiel ao chamado, fiel à visão e fiel à missão!

Noé fazia parte da minoria que não se contaminava com o sistema, que não entrava na fôrma do mundo (Rm 12.2).

Acho interessante pensar nas coisas que Noé precisou renunciar, para permanecer obediente à visão celestial; às críticas que ele precisou desconsiderar, os deboches e afrontas que ele precisou sofrer! E ainda assim, não contaminou sua pregação. O texto que citei, afirma que ele era “pregador da justiça” (2 Pe 2.5).

Noé era um diferente no meio de tanta igualdade. Era uma aberração, no meio de tanta uniformidade.

Sua fé parecia, no mínimo, sem sentido ou sem inteligência e no máximo, uma tolice. Construir uma arca em um lugar que nunca havia chovido, parecia mesmo estranho…

Mas o autor de Hebreus, diz:  “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, sendo temente a Deus, preparou uma arca para o salvamento da sua família; e por esta fé condenou o mundo, e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé” (Hb 11.7).

Sua fé o levou a condenar o mundo: a determinar não fazer parte do sistema operante no mundo; nem compactuar com o pensamento da maioria.

Acho muito importante dizer que quando Jesus estava a falar sobre os últimos dias, Ele citou Noé e o sistema operante em sua época. Jesus afirmou, que os dias próximos à Sua vinda, seriam como os dias de Noé, onde as pessoas seriam influenciadas de tal modo por este sistema: “comer, beber, casar e dar-se em casamento”, que seriam pegas de surpresa no juízo (Mt 24.36-39).

 

São estes os nossos dias?
Nosso mundo gira em torno do mesmo sistema: “comer, beber, casar e dar-se em casamento”.

E este sistema está tão entranhado na forma de viver do homem (da maioria), que formou uma base em sua mente, o que chamo de estruturas de pensamento, pois alterou a sua forma de pensar, roubando-lhe o discernimento, desviando-lhe do seu propósito original e colocando-o na mesma posição que a maioria da época de Noé: alvos do juízo Divino.

Nossa época é fortemente influenciada por um sistema de duas faces (veja se o reconhece):

  1. HUMANISMO (“Comer e beber”): estrutura de pensamento onde o ser humano é a coisa mais importante que existe. Se fosse só isso, não seria tão ruim, o mundo seria até melhor, pois o discurso humanista tende a valorizar a dignidade humana, o uso de suas capacidades, potenciais, aspirações, racionalizações. Seria bom ver os homens se valorizando mutuamente. O problema do humanismo, é que o homem é o centro do universo e não Deus. E a consequência deste tipo de pensamento é a negação e/ou à indiferença ao sobrenatural e consequentemente, a Deus. De uma forma bem prática, a mentalidade humanista induz o homem a pensar apenas no suprimento de suas necessidades (comida e bebida), na exploração de suas habilidades ao máximo; afinal, ele precisa ter, precisa saber, precisa ser alguém na vida!
    O resultado do humanismo são reuniões feitas para entreter os homens, músicas para agradar pessoas, discursos para retirar aplausos. 

    No nosso mundo humanista, tem gente cobrando cachê até para dar o que recebeu “de graça”. É nosso dever sermos justos e honrar as pessoas, mas é uma vergonha uma pessoa cobrar pra fazer o que é sua obrigação! Desculpem o desabafo, mas estou extremamente cansada com tantas campanhas de segunda a sexta, para conseguir casa própria, carros do ano, empresas, etc. Não que seja errado querer estas coisas; não que Deus não nos queira dar tudo isso. Mas essas coisas não são um fim, em si mesmas.

    O mundo não gira em torno do meu umbigo!
    Este mundo tem um Dono, e tudo deve girar em torno Dele: “Porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl 1.16).

  2. HEDONISMO (“casar e dar-se em casamento”): estrutura de pensamento, onde o prazer é o único fim, o único objectivo da vida. Essa mentalidade tende a repelir toda idéia de que o sofrimento deve fazer parte da vida. Essa forma de pensar ensina:
    a) Devo fugir de tudo o que causa sofrimento.
    b) Se algo não me causa prazer, logo, não é bom. 

    Já ouvi algumas pessoas dizendo que, se no céu não tiver sexo, então não querem ir pra lá. Esse tipo de pensamento faz parte da mentalidade que foi formada nas pessoas da geração em que vivemos. É o pensamento das massas, da maioria.

    Há inclusive, algumas “instituições” promovendo o “slogan”: PARE DE SOFRER! E alguns dizem: “se você está sofrendo, é porque está debaixo de uma maldição”. É inadimissível, no pensamento hedonista, admitir, que o sofrimento seja algo bom, importante e proveitoso. O que vamos fazer então, com os textos de Rm 8.18; Fp 2.5-8; 2 Co 4.8-18; Tg 1.2-8; 2 Pe 4.1-5 e tantos outros textos semelhantes, que ensinam uma vida de renúncia e cruz?

Vivemos em um tempo, onde nos distanciamos quilômetros do propósito original de Deus para nós! Este é um mundo de inversão de valores, onde fazer o que é certo, é careta. Li uma frase esta semana, que diz: “Quando todo mundo é corcunda, o porte ereto torna-se a monstruosidade”. (Honoré de Balzac).

Soa estranho hoje, uma mulher ser virgem aos 20 anos. E um homem virgem nesta idade? –Ah, ele não deve gostar de mulher (alguns afirmariam). Outros diriam, que é absolutamente um absurdo, não provar, antes do casamento, se o sexo do outro é bom (como se casamento fosse só sexo ou como se a intimidade fosse aperitivo de supermercado: -Não gostei, não vou levar! Ou: – Gostei, vou levar pra casa!).

Amados, é hora de revermos nossos valores, como Igreja do Senhor! É hora de pesarmos nossas motivações. Hora de avaliarmos o quão longe estamos do modelo que Jesus estipulou para nós e ordenou que seguíssemos. Não importa o quanto o mundo mude! Não podemos negociar princípios em nome do progresso e da modernidade! Há coisas que sinceramente, precisamos e DEVEMOS mudar, mas existem valores inegociáveis!

Se o mundo dorme em trevas, a igreja não pode “dormir na luz”!

Não seja transformado pelo sistema, instrumento de transformação!
Deus precisa de você!

Onde estão os Nóeis desta geração? Esta é a nossa hora!

Onde estão os que andam na contramão do sistema?
Deus procura por você!

O mundo aguarda a sua manifestação! Onde você está escondido? Não é hora de permanecermos nas cavernas, nem de misturarmos os nossos rostos, com os rostos da maioria, perdidos entre a multidão.

A criação aguarda a sua manifestação!

“Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.  Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo” (Rm 8.19-23).

O dia da vinda de Jesus se aproxima! Até lá, ande somente na contramão! Baruch Hashem! Daniele Marques.





Eu vim para que tenham “zoë”!

19 01 2011

Este início de ano está sendo um tempo muito produtivo para mim. Embora eu tenha ficado 20 dias de “férias” do Blog; tenho usado o meu tempo para cumprir algumas metas que tracei para 2011. Bem, mas agora voltei! Voltei a fazer o que eu amo fazer: escrever!

Já há algum tempo estou com este tema na cabeça e algumas frases no papel. Já parei várias vezes para escrever sobre esse assunto, mas sempre acabo indo para outro assunto e deixando esse de lado; mas hoje resolvi, finalmente, postar a respeito de “zoë.

O que é “zoë? É uma palavra grega, que traduzida, quer dizer: vida. Ela é encontrada, neste texto de João 10.10: “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.

A Bíblia não usa somente este termo para referir-se à vida. Pelo menos três termos são usados para a palavra “vida”. Embora quando traduzidas, a palavra seja a mesma, elas não são sinônimas, mas distintas. No original grego, encontram-se assim classificadas:

  1. “Bios”: vida biológica e/ou vida diária. Tem a ver com a vida do corpo, vida exterior, que adoece, envelhece e morre. Essa palavra é usada na Bíblia mais como vida diária, curso da vida (Lc 8.14; 1 Tm 2.2).
  2. “Psyche”: vida psicológica; alma vivente. Tem a ver com a vida da alma, que é um conjunto de mente, vontade, emoções, coração, etc (1 Co 15.45a).
  3. 3. “Zoë”: vida espiritual. Tem a ver com a vida do Espírito. Espírito cheio de Vida (1 Co 15.45b). A palavra “zoë, significa “a vida completa e absoluta, que pertence a Deus, vida real e genuína, vida activa e vigorosa, não só neste mundo, para aqueles que colocam a sua confiança em Cristo, mas depois da ressurreição ser consumada num corpo perfeito e por toda a eternidade”.

“O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10). Neste texto de João, Jesus explica o propósito da vinda Dele em contraste com o propósito da vinda de satanás. E usando a figura do ladrão, Jesus diz: roubo, morte e destruição fazem parte do propósito das trevas para o homem; mas o Meu Propósito, a Minha Missão é transmitir Vida; mas não uma vida qualquer; não apenas uma vida biológica, transitória; tampouco uma vida almática; mas vida zoë; ou seja a Minha Vida. E aqui ainda há uma redundância que talvez tenha sido proposital: Jesus disse … e a Minha Vida Abundante, com Abundância. Aleluia!

Não fomos criados já com esta vida, assim como Adão também não foi. Adão foi feito “alma vivente” (“Psyche”), embora tenha sido desenhado para participar da vida zoë, assim como nós. Essa classe de vida estava disponível para Adão, na figura da Árvore da Vida (árvore zoë) , assim como Jesus (Nossa zoë) está disponível para nós hoje.

A árvore do conhecimento do bem  e do mal era uma proposta de vida individual, baseada apenas na consciência e não na dependência de Deus. Comer deste fruto era dizer: eu sou a autoridade sobre meus pensamentos e atitudes, minha consciência é o único padrão de minhas escolhas, eu não dependo de ninguém, sou guiado apenas pela minha alma, pelo meu coração, pelos meus desejos e por aquilo que me é agradável. Comer deste fruto era desejar viver a vida da alma, desconectada da vida do Espírito.

A Árvore da vida (zoë) era uma proposta de vida coletiva, dependente, interligada e abundante. Comer do seu fruto significava viver a vida do Espírito, viver para sempre, estar para sempre ligado a Deus; dependente Dele, ser um com Ele; tendo Ele como padrão para as escolhas e decisões. Você lembra do que Jesus disse em Jo 15.1? “Eu sou a Videira Verdadeira, e meu Pai é o Agricultor” No versículo 4 diz: “permanecei em mim, e eu permanecerei em vós”. No versículo 6 Jesus disse: “Se alguém não permanecer em mim será lançado fora”. E foi isso o que aconteceu com Adão.

Quando Adão pecou, ele foi expulso do jardim e afastado a árvore da vida. Por que? Foi lançado fora do jardim, porque escolheu viver a vida da alma, a vida individual e independente de Deus. Ao invés de viver e compartilhar da vida do Espírito, Adão preferiu viver a vida natural, almática e carnal.

Até que, na plenitude dos tempos, a Vida de Deus se manifestou! O verbo se fez carne e habitou entre nós! (Jo 1.4,14). E aos que crêem na Vida de Deus (Jesus), essa mesma Vida é implantada no seu espírito. Jesus veio colocar dele mesmo no homem, pois a vida está Nele e Ele é a Vida. Veja 1 Jo 5.11-13: “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevo, a vós que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna”.

 

Embora Jesus tenha vindo trazer essa vida abundante e plena no Espírito; não são todos que gozam dela. Embora essa vida Divina esteja dentro de nós, ela não está operando em nós automaticamente. Por que? Porque precisamos aprender a viver por meio dela. Para isso, precisamos de duas coisas:

a)       Perder a vida natural: Porque para que essa vida espiritual, zoë, seja liberada em nós, a vida natural, almática, “Psyche” precisa ser tratada, julgada. E esse tratamento começa com a morte do nosso eu. Se buscássemos menos algumas coisas e buscássemos mais morrer, mais rápido chegaríamos aos nossos alvos. Precisamos deixar de viver a “vida almática” (psiquê). Esta vida é uma vida independente, é a vida direcionada pelo que eu acho, pelas minhas emoções, coração (enganoso) e pensamentos. Há muitas pessoas talentosas que estão vivendo e desenvolvendo um ministério baseado na vida da alma. Capacidade humana não gera a vida de Deus. O que gera a vida de Deus (zoé) é o Espírito de Deus. Nosso esforço humano só atrapalha. ”O que é nascido da carne é carne, mas o que é nascido do Espírito é Espírito e vida”. Precisamos desejar aquilo que é nascido do Espírito. Eu quero aquilo que é nascido do Espírito, que é gerado pelo Espírito! Aleluia! E para isso, temos que aceitar o processo da cruz. Somente a cruz libera a ressurreição.

Somente a sujeição à morte, liberará a vida zoé de Deus em nós. A morte é o que libera a vida!!! Enquanto não entendermos isso, e não nos sujeitarmos a isso, nossa alma vai continuar no controle, impedindo o fluir da vida de Deus para nós e para a Igreja.

b) Aprender a andar no Espírito: Andar no Espírito faz parte da vida nova e abundante que Jesus conquistou para nós! Andar no Espírito é pensar nas coisas que são do alto, é falar a linguagem sobrenatural do Espírito (aleluia!); é importar-se com o que Deus se importa e com quem Ele se importa, é estar completamente mortificado na carne e alinhado com Deus! Andar no Espírito é não se ofender mais (morto não se ofende), é não reagir, não revidar (morto não reage, não revida); todavia, é não perder nenhuma oportunidade de derramar a vida de Deus sobre as pessoas! Se minha carne já não vive, o canal está livre para o fluir liberalmente da vida de Deus em nós e através de nós!

De um lado “já não vivo eu”, do outro, “Cristo vive em mim” (Gl 2.20). Não há como gozar da vida de Deus, sem perder a vida da alma. Jesus disse: “Pois, quem quiser salvar a sua vida por amor de mim perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á” (Mt 16.25). E ainda: “Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna, “zoé” (Gl 6.8)”.  E: “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz” (Rm 8.6). E ainda: “De maneira que “ora, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive (zoé) por causa da justiça” (Rm 8.10). Finalmente, Jesus Cristo une essas duas verdades. Ele disse: “O que ama a sua vida (psiquê), a perderá; e o que aborrece a sua vida (psiquê) neste mundo, para a vida eterna (zoé) a guardará” (Jo 12.25).

Então, não perca mais tempo, viva a Vida zoé que Jesus conquistou para você! Baruch Hashem! Daniele Marques.

Ouça a música e seja ministrado: