18º Dia – Oremos pelas Polícias GNR e PSP!

13 04 2011


O suicídio é a principal causa de morte não natural entre os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP e GNR), revela um estudo hoje divulgado em Peniche durante um seminário dos Serviços Sociais desta força de segurança.

“A principal causa de morte na Polícia entre 2006 e 2009 são os suicídios, que têm aumentado infelizmente, ocorrendo principalmente quando os agentes se encontram no ativo”, revelou a subcomissária Sílvia Caçador.

Falta de acompanhamento psicoafetivo

Segundo a autora do estudo, o problema pode estar relacionado “com uma falta de acompanhamento psicoafetivo e com as dificuldades em lidar com os problemas diários da profissão”.

Os suicídios ocorrem durante a vida ativa dos polícias, enquanto os acidentes de transporte, apontados como outra das principais causas de morte não naturais, acontecem já durante a aposentação.

As doenças do aparelho respiratório, provocados pela poluição atmosférica a que os polícias estão sujeitos quando fazem patrulhamento das ruas e pelo consumo de tabaco enquanto forma de escape para os problemas da profissão, são uma das principais causas de morte natural, seguindo-se as doenças do aparelho circulatório, tumores e perturbações mentais.

O estudo revela ainda que as maiores taxas de mortalidade ocorrem entre os 20 e os 24 anos de idade, devido “à inexperiência dos polícias em lidar com os problemas diários da profissão”, ou entre os 50 e os 54 anos.

“A partir dos 50-55 anos verificamos que há um acumular de anos de cansaço e de dedicação a uma profissão difícil, havendo mais óbitos neste grupo de idades”, já em situação de aposentação, justificou.

Clique no link para ver a reportagem:

http://videos.sapo.pt/nLNeRG3GYvz3K91YJ7zw

Recentemente temos sido confrontados com este problema no seio das forças policiais, nomeadamente na PSP (Polícia de Segurança Pública),  e GNR (Guarda Nacional Republicana.

Em Portugal, ao contrário do Brasil por exemplo, onde este problema é um verdadeiro flagelo e onde os nossos irmãos militares evangélicos estão procurando dar apoio nesta área, eram raros estes casos. Por isso, podemos questionar-nos! Porquê este problema? A sociedade aparentemente tem melhores condições sociais, as forças policiais estão melhor equipadas, os soldos (vencimentos) não sendo os desejáveis, são aceitáveis tendo em conta a condição do país. Contudo, surgem aqui e ali casos de desespero, descontrolados, que não encontrando solução para o seu problema de alma, põem termo à vida física.

Como militares e polícias cristãos evangélicos, sabemos muito bem identificar onde está a origem do problema e que urge ser atacado.  A Bíblia é bem clara mostrando que a influência de Satanás no mundo se manifesta nas pessoas. Esta influência na alma que João 10:10 refere como: Roubar, Matar, Destruir e se materializa através da desmotivação do individuo-o, desagregação da família, descrédito nas instituições e na sociedade, levando por fim ao suicídio; só pode ser contrariada através  duma paz interior, que unicamente podemos encontrar crendo e aceitando Jesus como nosso Salvador.

Quem tem Jesus tem a vida!” Diz o mesmo versículo. “Mas Jesus veio dar-nos vida e vida com abundância” Portanto, não comete este erro ou atentado contra o seu próprio corpo. A vida é um dom de Deus que só a Ele pertence! Nenhum de nós enquanto cidadão militar, polícia ou civil tem o direito de atentar contra ela. Por isso é urgente que a mensagem de Cristo penetre nos corações de todo o homem ou mulher que serve nas forças militares e policiais, para que sejam libertos desta influência satânica e sirvam a Deus e a nação portuguesa com esperança e alegria.

Irmãos, oremos por esta preocupação e que o Senhor nos ajude! Militares, polícias e civis a trabalhar-mos na evangelização dos nossos companheiros e assim contribuir-mos para a ausência deste problema na forças militares e policiais. Os Militares Evangélicos de Portugal – Estão ao dispor das instituições militares e policiais, para que com a “mensagem da cruz” se ganhe esta batalha.

Samuel Cóias
O Presidente da Direcção  MEP – TCOR/PILAV(R)

Motivos de Oração:

  • Que Deus possa dar consolo e conforto aos órfãos e viúvas de militares que suicidaram.
  • Por libertação e salvação de militares e familiares.
  • Por abertura de novos pontos de pregação e testemunho nas Esquadras Policiais espalhadas por nosso país.
  • Por protecção na vida dos militares evangélicos.
  • Pelos lares de militares que estão afectados pela violência doméstica.
  • Que a igreja evangélica portuguesa possa ser usada por Deus para trazer respostas efectivas nesta matéria.
  • Por um avivamento entre os militares do nosso país.

Que Deus te abençoe! Daniele Marques.


Anúncios