Feliz Natal ou Boas Compras?

24 12 2010

Meu ir-filho Luiz Felipe escreveu um artigo para o Blog da Escola, e como estamos próximos ao Natal, resolvi publicá-lo aqui também no meu Blog. Espero que gostem …

Feliz Natal ou Boas Compras?

Estamos diante de uma das maiores festas do mundo, onde nos reunimos com a família e compramos muitos presentes, porém, será que é este o real significado do natal ou estamos a nos esquecer do principal? Da origem dessa festa. Esta festa tem uma origem religiosa. Na igreja Cristã Ocidental, o Natal é comemorado no dia 25 e na Igreja Ortodoxa Oriental, é comemorado no dia 6 de Janeiro.

Porém, qual será a história dessa data tão desejada pelas crianças e nem tanto pelo bolso dos pais? Embora, originalmente, o Natal seja um feriado cristão, muitos não crentes também comemoram este feriado. Actualmente, o Natal deixou de ter uma vertente religiosa e passou a ter uma vertente puramente comercial, perdendo a sua verdadeira essência. Para muitos, o Natal é sinônimo de compras, mas onde na sua história, estão os presentes? Isto me parece ser uma idéia burguesa para aumentar as vendas. E o é.

Bem, o verdadeiro motivo para o comemorarmos é este: O Natal é o dia em que comemora-se o nascimento de Jesus, porém não sabemos o dia certo deste nascimento. Segundo a Bíblia, os magos do Oriente estavam à procura daquele que seria o rei dos Judeus, porque tinham visto uma estrela no Oriente e iam O adorar; e Herodes (rei da Judéia, na Época) ouviu-lhes, perguntando-lhes onde este rei iria nascer, e eles o responderam: – Em Belém da Judéia; “Então, Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera. E enviando-os a Belém, disse: Ide e perguntai diligetemente pelo menino e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore.” (Mt. 2; 7-8) Acabaram de falar com o rei e seguiram viagem, e perceberam que a estrela ia com eles, e chegaram ao lugar onde estava Jesus. “E, entrando  na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe, e,prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas: ouro, incenso e mirra. E sendo por divina revelação avisados em sonhos para que não voltassem para junto de Herodes, partiram para sua terra por outro caminho.” (MT. 2; 11-12). Herodes visto que tinha sido enganado pelos reis magos, ficou furioso, mandou fazer um recenseamento, matando todas as crianças até os dois anos de idade, em Belém e suas províncias. Quando José ficou sabendo disse a partir de uma revelação por um anjo, ele e sua família fugiram para o Egito, até a morte do rei Herodes.

O Natal é comemorado no dia vinte e cinco, porque na Roma Antiga, era neste dia em que os romanos festejavam “o início do Inverno”, então presume-se que haja alguma relação em entre esses dois factos. O vinte e cinco é festejado desde o século IV pela Igreja Ocidental e V pela Igreja Oriental. A Igreja Ortodoxa o comemora 13 dias depois dos cristãos, por causa da diferença do calendário Gregoriano. Geralmente, eles ficam 40 dias de jejum,  e este é um tempo de reflexão.

A figura que hoje conhecemos como Pai Natal, não tem nada a ver com o verdadeiro natal e advém de São Nicolau (séc. IV), que era bispo da Ásia Menor, ele era conhecido por ser uma pessoa austera, generosa e que praticava o bem. Ele ajudava os pobres, colocando sacos de moedas nas chaminés, sem ninguém saber.

Ao contrário do que muitas pensam, não foi a Coca- Cola que lançou este look do Pai Natal, e sim o cartunista Thomas Nast, na revista Haper`s Weeklys, no ano de 1886. É evidente que a Coca-Cola ajudou a difundir está idéia, pois em 1931, ela lançou uma publicidade com o Pai Natal, nas cores vermelha e branca, as mesmas cores do rótulo da Coca-Cola.

São Francisco de Assis, introduziu o presépio, com intuito de tornar esta comemoração mais empolgante e dar mais vida. Há muitas versões sobre a origem da Árvore de Natal, a mais aceita é a de Martinho Lutero. Em um belo dia, Martinho estava voltando para casa, e parou, olhando para o céu, o apreciou, através de pinheiros que estavam em volta da estrada, o céu estava estrelado. Ele ficou encantado com isto, e levou um galho de uns pinheiros para casa, colocando-os em um vaso com terra e enfeitou, colocando velas acesas na ponta dos galhos, papéis coloridos, etc.  Martinho tinha como objectivo ensinar os seus filhos, a grandeza do céu, na noite em que Jesus tinha nascido. Algumas pessoas também afirmam, que a árvore de natal, fazia parte de uma adoração pagã e que foi transformada em um símbolo natalino. Não sabemos ao certo, como esta árvore veio realmente a se relacionar com a idéia natalina.

No Natal, as crianças esperam esperam o mais novo vídeo-game, e os adultos não ficam atrás, aproveitam esta época de tentações, com baixos preços, e correm para comprar o presente mais caro, para se afirmar nesta sociedade consumista. Nesta época do ano, surgem imensas promoções; as gravadoras lançam CD`s, dvd`s especiais de Natal; etc. Aqui eu dou um conselho: neste Natal, não compre o que você não pode pagar, mas dê o maior presente de todos: a sua presença e o seu amor às pessoas.

“O que compraria Jesus?” Frase provocatória, coloca o dedo na ferida dos cristãos que enchem as superfícies comerciais para celebrar o aniversário do nascimento de Cristo com uma espectacular troca de presentes. A frase preambula pelas lojas de um centro comercial de Michigan, Estados Unidos da América, numa das acções da campanha “Dia sem compras” que o movimento Adbusters conseguiu instalar em pontos estratégicos do planeta. (…)”  Jornal de Notícias

Em 2009, o GAIA (Grupo de Acção e Intervenção Ambiental) organizou o “Dia sem compras”, e deu sugestões para as compras de Natal com consciência, tais como:  evitar compras de marcas ou de países que supostamente utilizar o trabalho infantil; optar por comprar produtos locais; com isto, evita-se os transportes; e da-se preferência a produtos biológicos.

Porém, será que nós já pensamos que, enquanto estamos na nossa e confortável casa, ceiando com a nossa família e trocando presente, há pessoas na rua, sem ter o que comer e sem família? Existem também, pessoas com suas famílias, porém que não têm o que comer. Neste Natal dê às pessoas, o presente que Jesus gostaria de receber, afinal, Ele é o aniversariante. Ame o próximo, ajude as pessoas, dê um presente, mesmo sem valor monetário, mas que poderá marcar a vida de uma família, apenas com um gesto. E não faça isto só no natal, tenha este “espirito natalino” com você o ano todo. Não se deixe levar pelo Tsunami das publicidades natalicias, pense mais na verdadeira essência do Natal e não se esqueça do Principal nesta grande Noite: Jesus! Feliz Natal e um ótimo 2011. Por Luiz Felipe Monteiro.

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s