Teólogo, você quer aceitar Jesus?

30 11 2010

Domingo pela manhã tivemos um tempo realmente precioso em Deus!

Como é bom sentir Deus! Como é Bom viver com Ele e para Ele!

Parece que o tempo pára quando Ele vem! Ele enche nossas vidas e enche todo o ambiente onde estamos, com a Sua Presença. Ás vezes, eu acho que posso compreender aquela sugestão de Pedro a Jesus no momento de Sua transfiguração: “façamos três tendas”. Dá vontade mesmo de permanecermos sendo ministrados pelo Senhor e dentro de um ambiente de unção e de Presença de Deus! A impressão que tive após o nosso culto foi: puxa, Deus é tão simples, Ele não quer somente o meu serviço, Ele não se importa tanto com o quanto eu sei, Ele nem se importa se não somos ainda uma multidão; porque tudo que Ele quer sou eu! Aleluia! Ele nos quer! Às vezes ficamos preparando cada detalhe do culto, para ficar tudo certinho e Ele só quer uma coisa: nós! Ele é apaixonado por nós! Não estou com isto, fazendo apologia a não prepararmos nada, não defendo essa tese, mas chamo a atenção ao facto de que não podemos ignorar o que é essencial.

Sabe, o Evangelho é simples! É o viver diário com Deus, com as pessoas, é oração, é o testemunhar, o partir do pão, o compartilhar a vida, os momentos, é levar as cargas uns dos outros, dar suporte em amor, é o viver a Palavra!

Ao longo dos anos, Deus quebrou muitos paradigmas dentro de mim! Impressionante o quanto estudei, tentando conhecer Deus. Houve um momento da minha vida, que achei que por ser formada em Teologia, eu conhecia a Deus de uma forma mais especial que os outros. E enquanto apenas O “teologizei”, permaneci distante do verdadeiro conhecimento. Saber coisas sobre Deus não atrai a Sua Presença! Precisamos aprender o viver diário, simples e praticante do Evangelho.

Evangelho de João, capítulo 3: Nós vemos um homem, Nicodemos, um dos principais entre os judeus, fariseu, “conhecedor” das Escrituras, erudito e membro do sinédrio, indo procurar Jesus para conversar. Ao se aproximar de Jesus ele disse: “Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele” (Jo 3.2). Aqui, fica óbvio que Nicodemos estava em conflito. Ele não tinha uma explicação teológica para o que estava acontecendo na Judéia e na Galiléia, por causa da Presença e da Pessoa de Jesus. Então ele se aproximou de Jesus, com um discurso racionalista, baseado em causa e efeito, usando simplesmente a lógica: se tu fazes sinais, então é porque Deus está contigo.

A resposta de Jesus foi mais ou menos assim: eu entendo o porquê você não compreende isto, você precisa nascer de novo; se não nascer de novo, não poderá ver o Reino (ver é participar, é estar lá, experimentar, é mais do que simplesmente compreender no intelecto).

Nicodemos responde: (parafraseando): Já sou maduro, já andei muito, já sou um homem velho (as cãs eram símbolo de maturidade na época), e você está dizendo que tenho que começar do zero novamente, como um bebê?

Jesus respondeu: “quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus” (Jo 3.5). A seguir, no versículo 7 Jesus diz:

Não fique admirado por eu te dizer que tens de começar de novo. Jesus estava dizendo que Nicodemos teria que começar de novo, só que agora precisaria de um novo DNA, um novo código genético espiritual! Ele precisava ser gerado em Deus, porque as “letras da carne” não o estavam permitindo compreender termos simples do Reino como “nascer de novo ou nascer do Espírito”.

Ainda assim, Nicodemos retrucou: “Como pode suceder isto?” (Jo 3.9). A mente de Nicodemos não conseguia alcançar este ensino.       E Jesus o acudiu: “Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas?” (Jo 3.10), ou: você sabe tanto e não sabe o essencial?          E Jesus continua dizendo a Nicodemos, que Ele só estava falando das coisas que Ele vivia na prática (o que eu sei, o que eu testifiquei e o que eu vi: verso 11). E que se ele não conseguia compreender essas coisas simples, como poderia compreender as celestiais?

Jesus aproveitou o momento para falar de Seu propósito. Jesus lhe disse que Ele havia vindo a este mundo para salvar “todo aquele que Nele crêsse” (Jo 3.16) e que se ele quisesse se aproximar da luz, precisaria aprender a praticar a verdade, que é muito mais do que simplesmente conhecê-la (Jo 3. 21). Jesus estava dizendo aquele mestre fariseu: Teólogo, você quer aceitar Jesus? Em resumo, o que Jesus disse aquele homem inteligente e conhecedor das Escrituras, foi que não bastava ele conhecer coisas sobre Deus, ele precisava receber a nova vida de Deus, que não vem pelo conhecimento, mas pela prática da verdade. Essa nova vida de fé em Cristo, nos permite não simplesmente experimentar sinais maravilhosos de Deus, mas compreender as coisas do Reino e também nos garante a vida eterna!

Jesus estava chamando Nicodemos de volta ao início, à simplicidade e à prática da vida cristã. Jesus provou a ele que não bastava ser um teólogo, Ele tinha que estar na Luz!

O meu desejo é que Deus o (a) abençoe para que vivas sempre na Luz, nem sempre conhecendo tudo, mas sempre praticando tudo o que conhece! Baruc Hashem! Daniele Marques.

Anúncios




Fique Atento! Ele deixa Pistas no Caminho…

26 11 2010

Gosto de comparar coisas naturais com coisas espirituais.

Muito do que Jesus ensinou sobre o Reino dos Céus, Ele tirou da vida cotidiana de pastores de ovelhas, lavradores, e pessoas do campo (Mt 13.1-52). Jesus olhava para uma semente e para seu processo de crescimento e nos fazia entender sobre a fé. Até mesmo das moedas gregas e nacionais, Jesus podia tirar lições. Uma dracma, por exempo, era o preço que valia uma ovelha; Jesus usou a diligência daquela mulher ao procurar a dracma perdida (Lc 15.8), para exemplificar seu amor pelos perdidos, ovelhas do seu aprisco.

Usando este mesmo método, quero falar sobre alguns sinalizadores, pistas, que Deus coloca em nosso caminho, para trazer direção, testar nossa fé e nos levar a um nível mais alto, nEle.

E quero usar como ponto de comparação, alguns joguinhos de vídeo game (uma símile moderna! haha). Acho interessante nos games, a forma como temos que lidar com o inesperado. Nossa atenção precisa ser redobrada, e a vigilância total, pois a qualquer momento, um inimigo pode surgir pelo caminho e nos aniquilar. Eles podem vir dos mais diversos lugares: das matas, dos ares, das pedras e até do chão. No game do “Indiana Jones” por exemplo, uma característica particular são as pistas pelo caminho. Ele nunca sabe o que vem pela frente e só sabe o passo seguinte, por causa da pista anterior. Muitas vezes, ele tem que pisar na ponte de madeira, que ainda não existe, para o chão começar aparecer. E há muitos bônus, passagens secretas, novas pistas, recargas e fontes escondidas de poder, que só temos acesso quando chegamos a determinados lugares. E se conseguirmos passar por tudo, trocaremos de fase! E assim, vamos avançando por vários níveis, cada um mais intenso do que o outro, mas nossas habilidades vão aperfeiçoando-se e nosso reflexo (feedback) melhorando.

Assim também é a vida cristã. Jesus em Jo 16.33, disse que teríamos aflições, e Paulo a Timóteo, escreve: “E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições” (2 Tm 3.12). Paulo ainda descreve uma série de situações vividas por ele, que dão de 10X0 em muitos filmes de ação! (2 Co 11.23-29)

  1. A vida não é um vídeo-game, mas também é cheia de situações inesperadas e precisamos aprender a lidar com elas. O que faremos quando nosso barco naufragar? Nadaremos como Paulo, até a ilha mais próxima? E se não soubermos nadar? Poderemos usar as tábuas e destroços do navio, como os prisioneiros que estavam com ele (At 27.43,44). O facto é que precisamos reagir ao inesperado e saber lidar com situações inusitadas. Ninguém espera por um naufrágio ou uma tempestade, mas se estamos no mar, temos de saber que elas podem acontecer.
  2. Como se não bastasse o naufrágio, uma víbora ainda mordeu Paulo na ilha. Como no game, os inimigos surgem de todo lado, até no meio de gravetos. O que Paulo fez? Chorou? Murmurou? Deu ouvidos aqueles que estavam falando que isso tinha acontecido com ele por castigo Divino? Não! Ele simplesmente sacudiu o réptil no fogo, e continuou sua vida. Ele tinha imunidade para esta fase (risos). Temos um inimigo que a todo tempo, nos arma ciladas, e usa todas as armas possíveis para nos roubar, matar e destruir (Jo 10.10). Precisamos estar sempre vigilantes (1 Pe 5.8) e munidos das armas correctas (1 Ts 5.8; Ef 6. 13-20).
  3. Precisamos estar atentos às pistas no caminho: são os sinalizadores que Deus deixa, para nos manter na direção correcta. Uma das funções da coluna de nuvem e de fogo no deserto era trazer proteção contra o frio, calor, animais rastejantes, inimigos; mas também era trazer direção. Israel não podia tirar os olhos da nunvem, ela era um luzeiro no caminho! (Nm 9.15-23). Fique atento às sinalizações de Deus em cada etapa de sua vida! Deus fala de um modo, ou de dois; fala por meio de sonhos, ou em meio às dores, pode usar anjos, mas também fala em resposta à oração (Jó 33.14-26). Eu oro para que você tenha muito discernimento e enxergue os sinais deixados ao longo do caminho.
  4. Aproveite cada oportunidade e dê passos de fé. Ás vezes Deus deixa sinais, mas outras vezes nós é que temos que produzí-lo. Na maioria das vezes o caminho só vai se abrir quando você pisar (Moisés precisou usar a sua fé e tocar nas águas; Elias e Eliseu também viram o Jordão abrir quando tocaram nele. Aquela pequena nuvem do tamanho da mão de um homem não foi o sinal da chuva, Elias teve que produzir o sinal! A chuva foi produzida entre os seus joelhos!). Os sinais que Deus não manifesta, a intercessão e a fé produzem! Se o mar se abrir, vá pisando. Se a porta se abrir, entre por ela. Ás vezes, há um sinal dentro de outro sinal e uma porta dentro de outra porta.
  5. Nós temos uma passagem secreta que nos leva desfrutar de bônus tremendos! A oração,  a Palavra e a fé: elas nos levam ao Esconderijo do Altíssimo (Sl 91). Novas pistas surgirão sempre que por meio da oração e da Palavra nos achegarmos a Deus (Jr 33.3; Sl 119.130). Estas são recargas tremendas de poder, que nos capacitam andar mais uma milha. Você precisa chegar em um lugar em Deus, que libere sobre ti, tudo o que você precisa para ir mais alto.
  6. Tudo o que você precisa para sua vida e ministério já está esperando por você, neste lugar, em Deus. E este não é um lugar físico, mas um lugar em Deus. É um lugar “no Altíssimo”, que nos livra das setas de dia e de noite, que não nos permite ser atingidos. É um lugar debaixo do pastoreio dEle, que libera sobre nós os verdes pastos, as águas tranquilas e as veredas da justiça. Esse lugar é um lugar de mesa posta na presença dos nossos inimigos, de óleo sobre a cabeça e de cálice transbordante (Sl 23). Mesmo em meio aos vales, é possível estarmos em Deus! Mas você precisa se esforçar para encontrar este lugar de transbordamento!
  7. Esta subida, requer muito esforço, determinação, busca intensa, sobretudo, precisamos aprender a corresponder com o Espírito Santo. Não somos “Indiana Jones”, mas também estamos “Em busca da Arca Perdida” (haha). E Alguns já a encontraram! (Sl 16.11; 140.13) E se conseguirmos passar por tudo, trocaremos de fase! Existem muitos níveis em Deus, para alcançarmos, há lugares altos inimagináveis, inexpugnáveis! Há muito o que explorar; sigamos as pistas daqueles que já chegaram lá! (Sl 65.4) A cada etapa vencida, nossas habilidades aumentarão, nosso reflexo melhorará. Os desafios também serão maiores, mas os privilégios aumentarão na mesma medida das responsabilidades!

Que tremendo é saber Deus coloca sinalizadores em nosso caminho! Como um pai que brinca de esconde-esconde com seu filho, o Senhor também deixa os pés do lado de fora! “Se Ele opera à esquerda ou esconde-se à direita, não O vemos”, entretanto, Ele deixa pegadas para O seguirmos! (Jó 23.9-11). E se Ele não deixar, nossa fé, adoração e intercessão vão forçá-Lo a se revelar! Aleluia! Por isso, vou colocando os meus pés, nos lugares que Ele indica! Pois “lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra e Luz para o meu caminho”! (Sl 119.105)

Vou vencendo um desafio a cada dia … de fé em fé … de Glória em Glória … um por vez, vendo a luz, na Luz do Senhor! “Pois em ti está o manancial da vida; na tua luz vemos a luz” (Sl 36.9).

Vídeo: Há um lugar (Heloísa Rosa). Deixe-se ministrar por esta canção! Que você possa encontrar e permanecer neste lugar em Deus! Baruch HaShem! Daniele Marques.





Frases para Refletir:

25 11 2010

  • É fácil nos sentirmos inadequados diante de desafios que ultrapassam a nossa habilidade natural, mas isto não significa que não conseguiremos, apenas significa que não conseguiremos sem Deus. Somos chamados para movermos-nos acima dos nossos limites (Hc 3.17-19). O sobrenatural é o véu que cobre as nossas imperfeições e incapacidades (Daniele Marques).
  • Cada época de nossa vida tem uma finalidade. Nossas situações cotidianas, são o nosso campo de treinamento. O facto de não conseguirmos ver, não significa que Deus não esteja trabalhando (Is 64:4). Precisamos de entendimento para compreendermos as nossas estações, e sabedoria para nos movermos assertivamente, “não como quem difere golpes ao ar“, mas “prosseguindo para o alvo”, no “cumprimento da carreira”, com fé.
  •  (Daniele Marques).
  • O Extremo Cansaço é o filho do Despropositado com a Activista. Se você está sempre reclamando que está cansado, pode ser que sua agenda esteja cheia de coisas que você não foi chamado para fazer. Concentre-se naquilo que relaciona-se com o seu propósito! (Daniele Marques)
  • Sucesso é estar no lugar certo, no tempo certo, fazendo a coisa certa, da forma certa (Daniele Marques).
  • O fruto se esconde na identidade da semente. Os nossos resultados, são simples questões de DNA. O “eu já venci o leão e o urso” até podem abrir portas para entrarmos em batalhas maiores, mas vencê-las, tem a ver com nosso DNA. Quando David venceu Golias, Saul não quis saber do seu currículo, mas lhe perguntou: “De quem ele você é filho?” (Daniele Marques)
  • As pequenas distrações são as maiores inimigas da concentração. Em um mundo cheio de tantas tecnologias e informações, a “concentração” tornou-se uma arte quase obsoleta. Mas sem concentração, não se atinge nenhum alvo. Não se mata um gigante, atirando-se para todos os lados. Davi concentrou-se na brecha da armadura de Golias e uma pedra certeira atingiu o alvo (Daniele Marques).
  • Tenho aprendido que as obras mais profundas e permanentes realizadas por Deus, em nosso interior, precisam de tempo para serem construídas (Daniele Marques)
  • Eu tenho um propósito. Existe uma conexão entre o meu propósito e a minha autoridade. Minha autoridade está dentro do meu propósito. Minha prosperidade acontece, quando a minha autoridade está fluindo! (Daniele Marques)
  • Você não foi feito para coisas grandes; você foi feito para Alguém Grande e para atitudes Nobres. persevera nisso! (Daniele Marques)
  • Em cada adversidade, uma oportunidade. Em cada oportunidade: fé, coragem, crescimento e testemunho! É assim que nos vencemos! (Daniele Marques)
  • Não há enxerto sem humos, não há vida sem morte e também não há frutificação sem arrependimento. Então, uma pessoa frutífera não é aquela que mais trabalha, mas é aquela que carrega em si, a morte, sendo exactamente este factor, o potencializador de sua vida! (Daniele Marques)
  • O tempo certo é o tempo da oportunidade de Deus. O tempo certo acontece. E quando ele acontece, devemos estar preparados para cumprir o nosso propósito (Daniele Marques).
  • Quando nosso relacionamento com Deus se estabelece, todas as coisas passam a ser servas do propósito de Deus para nós! (Daniele Marques)
  • No krõnos eu posso até me fatigar, mas se eu ajo no kairós, eu ajo com propósitos; eu correspondo às expectativas eternas de Deus pra mim. (Daniele Marques)
  • Os “Tornados de juízo” apontam um caminho que se chama: Recomeço. E você pode andar por ele. (Daniele Marques)
  • O mesmo Deus que envia os ventos, acalma a tempestade. (Daniele Marques)
  • Os sinais que Deus não manifesta, a intercessão e a fé produzem! (Daniele Marques)
  • Aproveite cada oportunidade e dê passos de fé. Ás vezes Deus deixa sinais, mas outras vezes nós é que temos que produzí-lo. Na maioria das vezes o caminho só vai se abrir quando você pisar. (Daniele Marques)
  • Viva sempre na Luz,  nem sempre conhecendo tudo, mas sempre praticando tudo o que conhece! (Daniele Marques)
  • Às vezes um fracasso não é sinal de derrota, apenas de mudança de direção! (Daniele Marques)
  • Nas noites mais escuras, as estrelas são mais brilhantes! Não se distraia com o escuro da noite … abra seus olhos! (Daniele Marques)
  • Todas as minhas fontes estão em Ti, Senhor”! Sabe quando “podemos” dizer isso? Quando dependemos “completamente” DELE e pra TUDO! (Daniele Marques)
  • Morte é quando a eternidade interrompe o tempo. Vida é quando O Deus Eterno interrompe a morte! (Daniele Marques)
  • “Algumas pessoas buscam o que Deus pode fazer por elas, outras buscam conhecer intimamente o privilégio, de poder dar algo ao Deus que tem tudo”. (Luciano Marques)
  • Só discerne entre o FALSO e o VERDADEIRO, quem CONHECE o verdadeiro. Discernimento é o que nos capacita a enxergar as coisas COMO elas são (Daniele Marques).
  • Sobre o quê você vence, Deus te faz uma Voz! João Batista venceu o deserto, por isso ele era VOZ DO QUE CLAMA NO DESERTO! E as pessoas iam lá p/ ouví-lo! (Daniele Marques)




Fator DDD: Decisões Decidem Destinos!

24 11 2010

“Mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, para o prêmio da Soberana Vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3.13,14).

Estes dias eu estava pensando sobre o quanto já caminhei em Cristo!

É empolgante olhar para trás e ver o quanto nós andamos, o quanto crescemos, o quanto aprendemos! Os anos tiveram muito a acrescentar e também as experiências, os desertos, os vales, as conquistas, as perdas, as vitórias e derrotas, alegrias e tristezas, erros e acertos, cansaço e vigor, tempo com pessoas, tempo com Deus, tempos de crise, tempos de bonança, pausas, atividades sem fim, começos e recomeços, novas alianças, novos e velhos amigos, fartura e escassez, risos e lágrimas, ansiedade e confiança, dúvidas e fé … poderia aqui ainda continuar descrevendo tudo o que vivi nos últimos dez anos! O tempo passa tão rápido que não percebemos que essa miscelânea de experiências, e as decisões que tomamos frente a cada obstáculo, sobretudo a perseverança, fizeram de nós o que somos hoje, e nos levaram ao lugar que estamos hoje, em Deus!

As experiências, muitas vezes tão dolorosas e tão intensas, estavam nos empurrando degraus acima, nos fazendo pressionar para frente! E olha, que nem percebemos isso na hora, mas hoje, ao olhar para trás, puxa…

Engraçado, mas me lembrei agora, que os 400 anos, entre o Antigo e  Novo Testamentos, chamados de “Anos de Silêncio” (aquela “pagininha” branca entre ambos, rsrs), significaram muito; aliás, neste período, ocorreram todos os preparativos para a vinda do Messias, e também uma mudança em toda estrutura de governo; até mesmo a geografia da Palestina não era mais a do AT, dividida em tribos, porque o Império Romano a dividiu em distritos administrativos. Seitas como a dos fariseus, saduceus e essênios surgiram neste período. E as ruas de Jerusalém agora estavam cheia de herodianos, soldados romanos e cobradores de impostos! Ao terminarmos o livro de Malaquias, e iniciarmos o Evangelho de Mateus, temos a nítida impressão que estamos entrando em um mundo completamente novo! Mas o cenário foi dia-a-dia sendo transformado, e os habitantes nem perceberam que estavam mudando junto com ele.

É exactamente assim que me sinto!

Se eu olhar para trás, vejo que andei muito, se eu olhar para frente, sei que há ainda muito mais, mas nem percebi quando as mudanças foram acontecendo.

A pergunta que faço e respondo é: o que me capacitou a permanecer, mesmo em meio a erros e acertos, debaixo da Soberana Vontade de Deus? O que me permitiu continuar avançando?

Essa pergunta tem algumas respostas, mas quero mencionar pelo menos duas:

Coragem para tomar decisões: Isto implica também em coragem para abrir mão do que é “bom”, do que é “confortável”, para ir em busca do que é “melhor”. Me lembro que um dos grandes passos que dei, foi pedir para sair do Seminário onde lecionei por 8 anos (de 1999 a 2006).

Quando minha mãe faleceu, em 2006, senti que uma etapa da minha vida havia sido concluída e que se iniciava um novo tempo! Minha atitude de sair não foi bem aceita na época, pois era “bom” ser Professora de uma Faculdade de Teologia! E minha carreira estava brilhante, meus métodos de ensino estavam sendo usados e os alunos estavam realmente aprendendo! Eu havia caído na graça deles! Em 2005, fui convidada para ser patrona de uma turma fantástica, cheia de mestres, alunos brilhantes; que colocaram a minha foto em seu quadro honorário! Me senti tão honrada! E no ano seguinte, pedi demissão. Isto não pareceu, na época, a decisão mais coerente a tomar. Ainda porque, no ano seguinte, 2007, as coisas não deram muito certo em minha vida. Mas esta decisão, fez com que novas oportunidades rompessem e me fez pressionar, em direção ao meu futuro! Eu estava disponível para Deus agir.

Em 2007, fui enviada para uma Congregação que havia se tornado Igreja, em uma junção, para trabalhar com estruturação de Ministérios. Sem muito sucesso, ao final daquele ano, pedi ao meu Superintendente para me mandar para uma outra Igreja de nossa denominação. Em minha mente, ficava a pensar: será que minha decisão de sair do Seminário foi a mais certa? Mas eu havia começado a caminhar rumo ao meu futuro e não podia retroceder. Às vezes um fracasso não é sinal de derrota, apenas de mudança de direção!

Em 2008, já na nova Igreja, minha amada Betesda, vivi um tempo de muito refrigério, bonança, milagres, de muita oração, Palavra, vigílias, busca intensa pela Presença do Senhor. Nesta época também (2008 até meados de 2009), nosso pastor nos pediu para dirigirmos uma Congregação, ao mesmo tempo que o auxiliávamos na sede e tivemos a oportunidade de ver um trabalho novo crescendo! Ah, foi tremendo o que vivemos neste tempo! Foi tremendo ver Deus acabando com nossas programações tantas vezes, e mudando nosso planejamento, enchendo a Igreja com Sua Presença; e ver o programa de culto indo para o espaço, haha (me lembro disso com muita alegria). Esta foi uma época que fizemos amizades que vamos guardar para sempre!

Em 2009, tivemos novamente que tomar uma grande decisão: abandonar nossa congregação que estava crescendo e já tínhamos pessoas para batizar; tínhamos também alguns que voltaram para Jesus; havíamos começado um Seminário de Líderes na Sede, que estava indo muito bem; íamos para o Monte todos os dias com o nosso pai-stor e amigo, orar. Tínhamos liderados fiéis e em crescimento na Congregação e mantínhamos um relacionamento de muita comunhão com eles. Como deixar tudo isso de novo?

Enfim, neste ano, tomamos uma decisão radical, talvez, um dos maiores passos que já demos: nos desfizemos de TUDO o que tínhamos, colocamos umas roupas nas malas e viemos para Portugal, cumprir o chamado de Deus! Uma grande mudança! Pela primeira vez, eu estava mudando de denominação, desde a minha conversão.

Mal sabíamos o que nos esperava: vivemos novos obstáculos, novas lutas e confesso, tivemos muita vontade de desistir e retroceder, principalmente porque, o tratamento de Deus foi muito intenso nessa época!  Um novo país, uma nova língua (parecida, mas nem tanto), uma nova cultura, sem nossos velhos amigos, família, sem ombros para chorar, vivendo o anonimato e a solidão; e mesmo aqui, ainda mais uma vez tivemos que tomar uma grande decisão: voltar ou permanecer? Essa decisão nos impulsionou para o lugar que estamos agora! Aleluia! Estamos vivendo um novo recomeço!

Decisões realmente decidem destinos! É necessário muita coragem, perseverança, determinação, fé e direção, para avançar, apesar das circunstâncias, para vencer os sentimentos, dando lugar à obediência e para continuar dando passos firmes e correctos, rumo à Vontade Soberana de Deus!

O segundo factor que nos permitiu continuar avançando foi nosso alvo; e realmente, nos momentos em que estávamos sem chão, olhávamos para Jesus e suas Promessas, e assim, continuávamos avançando.

Davi foi um homem de Promessas tremendas! Mas quando ele as recebeu, era ainda um pastor de ovelhas. Fico imaginando que impacto teve a ida de Samuel à sua casa (1 Sm 16.1.-13). E depois disto, os anos iam se passando e talvez nada realmente grande estivesse acontecendo. Mas suas pequenas escolhas iam delineando o seu futuro! Primeiro, ele enfrentou um urso, depois um leão; e isto o capacitou para enfrentar Golias! (1 Sm 17.36). O que me marca muito é que Davi se movia sempre dentro de seu alvo: o trono de Israel! Não foi por mera curiosidade que ele queria saber o que Saul daria ao que vencesse o gigante (1 Sm 17.26). Ele queria saber se a oferta do rei, abriria portas para seu futuro e o levaria ao cumprimento de seu chamado. E penso que foi isto, que o levou a decidir deixar suas ovelhas a cuidado de outro, para defender as ovelhas do Senhor! Ele deixou de cuidar da casa do seu pai, uma família dentro da tribo de Judá e passou a cuidar dos negócios do Reino! Essa decisão o levou cada vez mais para perto de seu futuro!  E mesmo assim, quando as perseguições vieram, ele permaneceu, ainda que escondido ou fugindo, com os olhos em seu alvo. A cada etapa vencida, Davi chegava mais perto do trono. Davi vigiou seu coração, e deixou Deus forjar nele, o coração de um rei, segundo o coração de Deus!

O apóstolo Paulo também teve que tomar muitas decisões, ao longo de sua caminhada. Penso que não foi fácil, abandonar o status que o farisaísmo possuía, ainda mais Paulo, um fariseu ensinado aos pés do mestre Gamaliel! Mas em Filipenses 3.7, Paulo chegou a afirmar que todo o “status” que era considerado “lucro”, ele considerou como “perda” e “refugo” (3.8) por causa de Cristo. E ao longo de seu ministério, Paulo teve ainda que tomar muitas decisões, ainda que lhe custassem a vida, como por exemplo, ir à Jerusalém, mesmo tendo sido alertado pelo profeta Ágabo, que seria preso (At 21.10-14). Paulo sabia que não podia avançar sem tomar decisões, sem deixar coisas e pessoas para trás. E ele, é autor de uma das citações que tem norteado minha vida nestes últimos anos: “prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Jesus. Irmãos, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço (decido e tomo atitudes, grifo meu): esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando (pressionando) para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, para o prêmio da Soberana Vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3.13,14).

E sob esses exemplos, vou caminhando, e avançando para o alvo!

E para completar esse assunto, vejam neste vídeo, como passo a passo, e em Cristo, vamos chegando a lugares inimagináveis! Baruch HaShem! Daniele Marques.





Ele Trabalha de Forma Estranha…

23 11 2010

“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera” (Is 64.4)


Deus trabalha por nós!

Você já parou para pensar nisso? Ele é o Criador de todo o mundo, Is diz no capítulo 40, versículo 22: “Ele está assentado sobre a redondeza da terra”e no vers.26 continua: “Levantai ao alto    os olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais ele chama pelo nome; por ser ele grande em força e forte em poder, nem uma só vem a faltar”.

O Deus que tem tudo é meu! E ainda mais: Ele trabalha por mim, trabalha a meu favor! Isso é mesmo maravilhoso! Somos parte do seu plano! Isaías diz no capítulo 55.9: “porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos”. Os pensamentos do Senhor ao nosso respeito são elevados e Ele intenta nos dar um “Grand Finale”! Na verdade Ele trabalha para preparar para nós um final melhor do que o que esperamos!

Mas o que gostaria de ressaltar aqui é o MODO como Deus trabalha!

E quanto a isso, tenho algumas coisas a dizer:

  • Nem sempre Deus faz as coisas do jeito que esperamos.
  • O trajecto que Deus traça é cheio de situações inusitadas e inúmeras provas no percurso.
  • Nem sempre Deus revela para nós os seus planos do início ao fim.
  • Quase todas as vezes não temos os recursos necessários para resolver os problemas.
  • Na maioria das vezes não temos a mínima idéia onde esta história toda vai parar (hehe).
  • Mas o facto é que no final, tudo dá certo! Aleluia! Não sabemos como e nem conseguimos explicar o porquê, mas dá certo! hehe

Tenho quase certeza que José jamais imaginou ou esperou que a concretização de seus sonhos e promessas, dependessem de tamanhas humilhações, prisões e cárceres… ferramentas do trabalho de Deus!  Mas sabe, uma vez ouvi dizer que o cárcere era o lugar mais próximo do trono, ficava debaixo dele! Deus precisava forjar o futuro governador e segundo homem do Egito. Ele precisaria aprender a lidar com calúnias, com injustiças, aprender a perdoar, e sobretudo, a agir com prudência em situações de pressão. E José mostrou ser capaz de prosperar na terra de sua aflição! José era um homem bom, de coração puro e curado, e com tamanho discernimento, que Faraó não viu outro que poderia governar tão sabiamente como ele! (Gn 41.38-40). Você acha que Deus se esqueceu de você, por ainda não estar vivendo a concretização das promessas? Espere mais um pouco … a sua história ainda não terminou! Hahaha! Ele trabalha de modo estranho …

Tenho pensado muito sobre os desertos da vida, tenho passado por muitos deles, muitas vezes, e parece-me quase impossível imaginar um outro trajecto para a terra prometida.

Geograficamente, o caminho mais próximo para a Terra Prometida era junto ao Mar Mediterrâneo, na “rota dos filisteus”, mas Deus não os faz passar por lá. Por que? A) Porque embora fosse o caminho mais perto, não era o mais fácil. B) Porque o povo não estava preparado para enfrentar os guerreiros do mediterrâneo. Não estou falando de habilidades, mas da confiança em Deus, ao ponto de não temerem a guerra (Ex 13.17); estou falando da confiança que brota do exercício da fé! E esse tipo de fé é adquirida nos desertos da vida … caminho de Deus para nosso treinamento!

Em Dt 8.2,3, o Senhor ensina que o deserto foi extremamente necessário no percurso, e com a finalidade de revelar as verdadeiras motivações do coração e também trazer o entendimento de que Deus era o Único Responsável pela entrada deles na terra e não o seu próprio braço! (Dt 8.17,18) Deus merecia todo o reconhecimento, obediência e louvor (Dt 8.11). São tantas as situações inusitadas e surpresas que vivenciamos no deserto! São tantas as provas! Mas em cada crise, há uma oportunidade para a manifestação do poder de Deus! Em cada falta … uma provisão! Em cada provação… um escape! Em cada necessidade … um milagre! A nuvem da Presença de Deus é sombra contra o calor e reúgio contra a tempestade. E no frio, na escuridão e nos perigos da noite, a Presença de Deus é fogo para aquecer, para alumiar e para proteger! Glória a Deus pelos desertos! Eles nos ensinam a dependência, a confiança e a fé!

Você acha que Jó sabia todo o desfecho de sua história? Você acha que Jó tinha a resposta para todas as suas “crises” “questionamentos” e “porquês”? Eu vejo tantas perguntas lançadas ao céu, mas nem sequer UMA resposta. E o livro termina e … cadê as respostas? Por que Deus não nos conta o que está fazendo e o porquê está fazendo? Qual o motivo para nossa dor? Fala, Deus! Olha, sinceramente, acho que Deus não tem nenhuma obrigação de nos dizer o porquê passamos por isso ou aquilo. Eu tomei uma postura quanto às coisas que não entendo: no que eu não tenho explicações, eu decidi confiar! Será que Ele perderá o controle da história? Nunca!  “Eu sei que o meu Redentor vive e que no fim Ele se levantará sobre a terra” (Jó 19.25). “Bem sei que tudo podes e nenhum dos teus planos pode ser frustrado” (Jó 42.2). Ainda que eu não entenda o modo estranho e maravilhoso de Deus trabalhar, no meu “Grand Finale”  meus olhos O verão! E o conhecimento de ouvir falar, será substituído pelo relacionamento com Ele (Jó 42.5).

E o que dizer das ordens para a construção de uma arca de 137X23X14 metros, em um lugar onde nunca tinha chovido? (Gn 6,14,15). Nem me atrevo a perguntar de onde veio tanta madeira, ousadia e fé para a contrução. Porque Deus nos dá sempre uma visão maior do que os nossos recursos? Onde encontraremos pão para alimentar toda esta multidão? (Mc 6.37) Duzentos denários são suficientes? Hehe. Deus dá pão para o que come (porque tem fome) e semente para quem semeia. Então se você é um semeador, não espere só pelo pão! Se você é um semeador, não vai receber comida pronta e quentinha, vai ter que grangear os recursos. O que tens? Um pouquinho de azeite? Um punhado de farinha? Cinco pães e dois peixinhos? Pega o que tens e abra mão! Semeie! Meu Deus, que modo estranho de trabalhar! Mas há algo de muito sobrenatural nisso!

Olhe, na maioria das vezes não sabemos mesmo onde esta história toda vai dar. Pedro já tinha pescado a noite toda e não apanhou nenhum peixe, mas resolveu obedecer à esta ordem estranha de Jesus, de lançar a rede novamente: Lc 5.4,5 (muitas vezes temos que recomeçar, começar tudo do zero… rsrs). Ah, e por falar em ordens estranhas, prefiro nem comentar os eventos onde Eliseu mandou deitar sal nas águas, ou quando mandou jogar o cabo do machado nas águas, ou ainda, quando Moisés tocou o mar com um pedaço de pau. Ai, fico imaginando o que eles pensaram no momento do milagre: “posso pagar um mico daqueles agora, não imagino onde esta história vai dar, mas acho melhor e vou obedecer! Se Deus mandou, eu vou fazer!” E por causa de uma postura como esta, eles experimentaram o milagre de Deus!

O facto é que Deus põe caminhos no deserto e rios no ermo (Is 43.19). Nem sempre entendemos o seu agir, nem sempre compreendemos as suas ordens, quase nunca temos todas as respostas, na maioria das vezes, somos provados no meio do percurso, somos surpreendidos por situações inusitadas, quase sempre não temos os recursos sufientes para concretizar a obra, e por causa de todos esses factos, e às vezes acontecendo ao mesmo tempo, nem imaginamos onde vai parar isto tudo. Mas… no final, no “Grand Finale”, acontece uma surpresa: tudo dá certo e ocorre exactamente conforme os planos de Deus! O quê??? É! Tudo dá certo e sua Palavra se cumpre!

Porque muitas vezes sem vermos, tantas outras em secreto, outras, enxergando só parte da história e de maneira obscura, decidimos nos posicionar em fé no meio desta história toda e confiarmos, mesmo sem respostas, tendo sempre a certeza de que ainda que de uma forma estranha …Deus trabalha por nós!!! E até mesmo enquanto dormimos Ele continua a trabalhar! Aleluia! Este é o grande segredo de nossa vitória! Baruch HaShem! Daniele Marques.

“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera” (Is 64.4).





Bem Vindo (a) ao nosso Blog!

23 11 2010

O intuito deste site é abençoar! É promover a Palavra de Deus de tal forma, que possa tocar sua vida! É também, compartilhar com você, um pouco de nossa vida e ministério, para que isso o (a) leve à intercessão e à gratidão, por causa dos grandes feitos do Senhor por nós e em nós, para a Glória de Cristo! Também é possível que você deseje saber mais sobre nosso ministério e como participar de nossa missão. Para isso, temos uma seção deste site, onde pode mandar-nos um e-mail e retornaremos com informações. Gosto muito de uma expressão de Davi que diz: “pois qual é a parte dos que desceram à batalha, tal será também a parte dos que ficaram com a bagagem; receberão partes iguais” (1 Sm 30.24). Isto significa que se você, por algum motivo não puder vir, pode segurar as cordas, pode fazer algo pelo Reino, mesmo estando aí no seu país e o Senhor Jesus, que é Justo, te recompensará! Baruch HaShem! Daniele Marques.





Quem sou eu?

23 11 2010

DANIELE MARQUES, Filha e Serva de D-us, muito bem-casada com Luciano Marques. Pastora, junto com o marido. Minha vocação é ensinar! Sou Licenciada em Teologia e leciono o AT há mais de 12 anos. Sou comunicativa, bem-humorada, e cheia de sonhos! Não sou perfeita, “mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3:12-14).